O treinador do Sporting, Rúben Amorim, assegurou esta sexta feira que os jogadores do Sporting estão preparados para receber o Sporting de Braga, antecipando um encontro muito difícil este sábado para a 12.ª jornada da I Liga de futebol.

“Espero um jogo complicadíssimo. O [Sporting de] Braga tem um excelente plantel, um bom treinador, o clube está habituado a estes jogos e tem jogadores experientes, mas estamos preparados, claramente. Sabemos jogar com os momentos do jogo, já nos adaptamos bem a isso e os resultados assim o dizem. Vamos defrontar uma excelente equipa, mas estamos preparados”, afirmou.

Em conferência de imprensa realizada no Estádio José Alvalade, o jovem técnico dos ‘leões’ rejeitou que o adversário esteja mais fragilizado, face às diversas ausências — entre as quais os casos de covid-19 em quatro ‘arsenalistas’ –, e reiterou a força coletiva do conjunto liderado pelo treinador Carlos Carvalhal.

“Não somos a equipa ideal para falar disso. Fomos a equipa mais afetada com covid-19, chegámos a parar de treinar, a sair de nossas casas e ir para o Algarve. O Braga tem um grande plantel, não vejo um Braga mais fraco, como foi óbvio pelo último jogo, em que venceram o Boavista”, notou, acrescentando: “Sei que os jogadores do Braga têm uma ligação especial, estão habituados a jogar juntos há muitos anos”.

Questionado sobre as recentes dificuldades da equipa para conseguir vencer, com os últimos três triunfos a serem obtidos pela margem mínima, Rúben Amorim preferiu relativizar, repartindo as explicações entre o mérito dos adversários e a menor inspiração de um ou outro jogador nesses encontros.

“As equipas também nos estudam e temos uns dias mais inspirados do que outros. Temos de não só olhar para o resultado, mas para o jogo. Este jogo vai ser completamente diferente e estou sempre à espera de um grande jogo da minha equipa, porque é isso que fazem durante a semana. Vão trabalhar no máximo, porque isso é inegociável”, vincou, lembrando que a equipa tem jogadores “dentro do campo e no banco que podem fazer a diferença”.

Já sobre o alegado interesse do Sporting no avançado ‘arsenalista’ Paulinho, o técnico do Sporting preferiu não se alongar em comentários, ao lembrar que não controla o mercado e que estas notícias são encaradas com “naturalidade”. Por outro lado, mostrou-se tranquilo acerca da instauração de um processo disciplinar pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, na sequência do jogo da ronda anterior com o Belenenses SAD.

“Não me sinto nada perseguido. Tenho mais visibilidade no Sporting, e isso tem coisas boas e más. Às vezes, custa um pouco a entender, pois tivemos algumas conversas com o quarto árbitro… É um estádio difícil. Mesmo que eu quisesse falar com o Emanuel [Ferro], teria de ir a meio do caminho. Mas as coisas são como são. Instauraram o processo e há que aceitar, e o Sporting também ajudará nesse processo”, concluiu.

O Sporting, primeiro classificado, com 29 pontos, recebe este sábado o Sporting de Braga, quarto, com 24, em jogo da 12.ª jornada da I Liga de futebol, agendado para o Estádio José Alvalade, às 18h00.