O primeiro-ministro, António Costa, considerou esta sexta-feira – dia em que arranca oficialmente a presidência portuguesa da União Europeia – que as prioridades de Lisboa serão o sucesso da vacinação contra a covid-19 e a recuperação económica e social da Europa

“Hoje inicia-se a Presidência portuguesa da União Europeia. Durante os próximos seis meses, Portugal estará ao leme da União Europeia, empenhado no sucesso da vacinação e da recuperação económica e social na Europa”, escreveu o primeiro-ministro português numa publicação na rede social Twitter.

Lembrando o lema da presidência portuguesa — “Tempo de agir: por uma recuperação justa, verde e digital”- António Costa elencou “três prioridades fundamentais”.

A primeira prende-se com a recuperação económica e social “baseada nos motores das transições climática e digital”; a segunda com o desenvolvimento do “Pilar Social da União Europeia que constitui a base de confiança que nos permitirá liderar as transições climática e digital sem deixar ninguém para trás”, lembrando António Costa que este será o tema central da Cimeira Social a realizar em maio, no Porto.

A última das prioridades elencadas é o reforço da “autonomia estratégica de uma União Europeia aberta ao mundo”.

“É por isso tempo de agir, em conjunto, como comunidade de valores e de prosperidade partilhada”, defendeu António Costa.

Portugal exerce a partir de hoje, e pela quarta vez desde a sua adesão, a presidência do Conselho da União Europeia.

O arranque da liderança portuguesa coincide com a saída do Reino Unido, que desde as 23:00 de quinta-feira (meia-noite de hoje pela hora de Bruxelas), cortou os laços com a União Europeia, quase um ano depois de deixar oficialmente o bloco de 27 países na sequência de um referendo popular em 2016, deixando de ter acesso ao mercado único e de estar sujeito ao Tribunal Europeu de Justiça.