A obrigatoriedade de embarcar passageiros com teste negativo à Covid-19, assim legislada há cerca de cinco meses para todos os passageiros oriundos de países fora da União Europeia, resultou em 9.628 testes feitos até ao dia 25 de dezembro no Aeroporto de Lisboa. Ao todo, 200 processos de contraordenação foram instaurados pela Autoridade de Aviação Civil (ANAC) a diferentes companhias aéreas que embarcaram passageiros sem o referido teste.

O Jornal de Notícias relembra esta segunda-feira que apenas estão autorizadas viagens essenciais de nacionais ou de pessoas com autorização de residência na União Europeia — os passageiros vindos de países africanos de língua oficial portuguesa podem embarcar sem testes sem prejuízo de recaírem multas sobre as respetivas companhias aéreas.

Covid-19. Portugueses no Reino Unido em contrarrelógio para completar teste antes de viajar

Alguns dos processos de contraordenação instaurados pela ANAC dizem respeitos a voos recentes provenientes do Reino Unido — a necessidade de um teste para viajar para Portugal anunciada apenas quatro dias antes do Natal, após detetada uma nova variante da Covid-19, foi uma surpresa para muitos portugueses que mantiveram os planos para se juntar à família; o Governo decretou uma exceção às multas até às 00h da véspera de Natal.

A maioria dos voos que receberam multas provinha, no entanto, de países como Brasil, EUA, Canadá, Emirados Árabes Unidos, Marrocos ou Venezuela, entre outros destinos.