Los Angeles, na Califórnia (Estados Unidos), estabeleceu uma nova regra para o pessoal das ambulâncias devido ao número de internamentos por Covid-19: as pessoas que sofram paragem cardiorrespiratória, e que não consigam ser reanimadas no local, não devem ser levadas para os hospitais, porque a probabilidade de sobrevivência é baixa. A notícia foi avançada pela CNN.

Com efeito imediato, devido ao grave impacto da pandemia Covid-19 no EMS [Agência de Serviços Médicos de Emergência do Condado de Los Angeles] e nos Hospitais Recetores [de chamadas de emergência] 911, doentes adultos (18 anos de idade ou mais) em paragem cardíaca, traumática e não traumática, fora do hospital, não devem ser transportados [se] o retorno à circulação espontânea não for alcançado no local”, lê-se no documento.

O que se entende é que, em caso de paragem cardiorrespiratória, o doente só deve ser levado para o hospital se tiver recuperado a pulsação ou a respiração, depois das manobras de reanimação, e se tiver estabilizado. Caso contrário, estes doentes com poucas probabilidades de sobrevivência não devem ser levados para os hospitais.

Mesmo os que conseguem chegar ao hospital, podem ter de enfrentar várias horas de espera, dentro das ambulâncias, até que se criem condições para serem transferidos para o interior. É o caso dos doentes que precisam de uma maca, porque não podem esperar na sala de espera ou não podem ficar sentados, e que têm de esperar que alguma fique vaga.

Com mais ambulâncias à porta dos hospitais, há menos disponíveis para transportar os doentes, daí que as autoridades locais peçam às pessoas que só liguem o número de emergência 911 (equivalente ao 112, em Portugal) caso realmente precisem.

Outra das instruções dadas aos profissionais de saúde e equipas de socorro das ambulâncias é que só coloquem a oxigénio as pessoas cujo nível no sangue esteja abaixo dos 90%, porque há escassez de oxigénio para todos os doentes. De lembrar que os doentes Covid-19 precisam, frequentemente, de receber oxigénio.

Los Angeles tem 2.352 camas nos cuidados intensivos — John Hopkins University

No dia 6 de janeiro, segundo o jornal Los Angeles Times, havia 8.098 pessoas hospitalizadas no condado de Los Angeles — mais de 20% nas unidades de cuidados intensivos. Cerca de três quartos das camas nas unidades de cuidados intensivos estão ocupadas com doentes Covid-19 e estes doentes demoraram mais tempo a recuperar do que os doentes internados com outras patologias, refere o Los Angeles Times.

O condado de Los Angeles tinha, no dia 6 de janeiro, 853.440 casos de infeção confirmados desde o início da pandemia — 12.048 nas últimas 2 horas — e 11.349 mortes — mais 260 do que no dia anterior.

O estado da Califórnia, onde fica localizado Los Angeles, já registou mais de 2,5 milhões de casos de infeção desde o início da pandemia — mais de um milhão só no último mês — e mais de 28 mil mortes.