Dark Mode 197kWh poupados com o Asset 1
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Paulo Fonseca montou uma equipa de gladiadores com Pau e uma fisga (e a Roma empatou com o Inter)

Roma entrou a ganhar, Pau López foi salvando a equipa do empate, Inter deu a volta em menos de dez minutos mas Mancini ainda resgatou um ponto que manteve equipa de Paulo Fonseca no terceiro lugar.

i

Paulo Fonseca esteve a ganhar e a perder mas empatou com o Inter, o mesmo resultado que tiveram com Juventus e AC Milan

Paulo Fonseca esteve a ganhar e a perder mas empatou com o Inter, o mesmo resultado que tiveram com Juventus e AC Milan

Num instante tudo muda e o futebol será sempre um exemplo paradigmático disso mesmo com avaliações quase diametralmente opostas em poucos jogos. Ou, neste caso, apenas em três: na sequência da goleada sofrida frente à Atalanta na penúltima jornada de 2020, alguma imprensa italiana como o Corriere dello Sport colocou o futuro de Paulo Fonseca na Roma em risco, argumentando que seria uma das primeiras decisões do novo diretor desportivo Tiago Pinto porque “o desempenho da equipa não melhorou, muito pelo contrário”; três jogos (e vitórias) depois, a possibilidade de se fixar no segundo lugar da Serie A em caso de triunfo frente ao Inter fazia do técnico português o principal obreiro de uma surpreendente caminhada e até já se falava da hipótese de lutar pelo título. 

“Devemos apenas pensar em vencer o jogo frente ao Inter; depois, iremos pensar no próximo. Não podemos pensar além disso. Temos confiança, além de que foi importante poder contar com todos os jogadores em campo. Agora, teremos de gerir bem os próximos dois ou três meses. Temos vários jogos, é importante que todo o plantel esteja bem fisicamente. É verdade que o Inter tem grandes jogadores mas não devemos olhar assim, tem um grande coletivo e uma identidade forte em campo. É fácil perceber como jogam mas é muito difícil travar aquilo que jogam”, destacou o antigo técnico de P. Ferreira, FC Porto, Sp. Braga e Shakhtar, entre outros.

“Paulo Fonseca é um treinador muito corajoso e preparado, que está a fazer um bom trabalho. É uma pessoa muito leal, que te diz as coisas na cara, quer sejam positivas ou negativas, e aprecio muito isso. Ele e o seu staff são muito capazes e cada jogo é bem preparado. Julgo que é um grande treinador.No começo não estava muito recetivo a ajudar na fase defensiva e nesse aspeto devo agradecer ao Paulo Fonseca. Nos primeiros jogos, na época passada, ele não me colocava a jogar devido a isso. Fonseca tornou-me mais completo”, assumiu também Zaniolo, grande promessa do futebol italiano que já chegou a internacional mas que está de fora por uma lesão grave.

Era neste contexto que chegava o jogo grande da jornada na Serie A e com uma Roma que conseguiu duas vitórias complicadas no ano civil de 2021 promovendo algumas mudanças na equipa mas a contar sempre com um fator desequilibrador que frente à Sampdória foi Dzeko e contra o Crotone foi Borja Mayoral. Desta vez, e em muitos momentos, essa mais valia foi Pau López, a segurar a equipa em momentos chave. Ainda assim, e depois de 20 minutos completamente falhados no início da segunda parte, foi o coletivo que imperou e os romanos foram ainda a tempo de reagir aos dois golos do Inter para resgatar um ponto que manteve a equipa no terceiro lugar.

O encontro começou a um bom ritmo, com Karsdorp a surgir pela direita a criar desequilíbrio mas a rematar sem ângulo para defesa de Handanovic (9′) e Pau López a ter as duas primeiras grandes intervenções a tentativas de Lautaro Martínez na área (13′) e Lukaku isolado na pequena área de cabeça na sequência de um canto (14′). Mais numa postura de expetativa, a Roma tentava estabilizar em termos defensivos para começar a ter outra capacidade nas transições e foi assim que inaugurou o marcador, com Veretout a ganhar a meio-campo a Barella, a bola a chegar rápido ao último terço e Pellegrini, com um remate de fora da área que sofreu ainda um desvio, a fazer o 1-0 (17′). A vantagem dos visitados iria durar até ao intervalo, com um remate perigoso de Vidal ao lado (27′) e um golo bem anulado a Lautaro Martínez por posição irregular do argentino (39′).

[Clique nas imagens para ver os golos do Roma-Inter em vídeo]

A segunda parte, essa, seria completamente diferente. E só nos 15 minutos iniciais o Inter não só chegou ao empate como criou várias ocasiões para chegar à reviravolta logo nessa fase, incluindo um cabeceamento de Lukaku que saiu a rasar o poste (48′), uma defesa fantástica de Pau López a remate isolado de Lautaro Martínez na área (53′), o 1-1 por Skriniar numa subida à área onde conseguiu ser mais lesto do que a defensiva contrária (55′) e mais uma intervenção apertada do guarda-redes dos visitados, desta vez após mais uma boa subida pela direita de Hakimi (58′). O golo parecia mesmo uma questão de tempo e não demorou muito mais, com o lateral marroquino contratado ao Real Madrid esta temporada a puxar a bola para dentro em novo lance pela direita, a arriscar o remate com o pé contrário e a marcar um grande golo ao ângulo superior da baliza da Roma (63′). Estava feita a reviravolta mas não a história do jogo, com a equipa de Paulo Fonseca a subir linhas, a procurar o empate e a conseguir mesmo um ponto a quatro minutos do final, com Mancini a ganhar na área e a fazer o 2-2.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.