Uma associação de Macieira de Rates, em Barcelos, plantou 30 árvores para criar um “pomar público” e disponibilizar fruta gratuita à população e aos peregrinos dos Caminhos de Santiago, mas “cinco ou seis” já foram furtadas.

O presidente da associação “Viver Macieira”, Sérgio Vilas Boas, disse esta terça-feira à Lusa que vai ser apresentada queixa na GNR, caso as árvores não sejam “de imediato” devolvidas e recolocadas onde estavam.

É verdadeiramente frustrante, não há nada que justifique uma coisa destas”, referiu.

As 30 árvores, entre laranjeiras, tangerineiras, pessegueiros, macieiras e pereiras, tinham sido plantadas em 18 de dezembro, ao longo de um troço de cerca de um quilómetro dos Caminhos de Santiago. No sábado, vão ser colocadas estacas nas árvores.

A ideia, como explicou Sérgio Vilas Boas, é criar um “pomar público”, que porá “fruta fresca” à disposição da população em geral e dos peregrinos em particular. Sobretudo para os peregrinos, será uma espécie de “miminho” que ficará, certamente, na sua memória e que poderá levar o nome de Macieira de Rates a várias partes do mundo.

O pomar é uma das iniciativas do projeto “Viver em Rede no Século XXI”, que foi um dos vencedores do Orçamento Participativo de Barcelos, tendo recebido um apoio de 10 mil euros. Do projeto, faz ainda parte a plantação de canteiros com ervas aromáticas e com catos, para embelezar o caminho, e a distribuição de compostores pela população.