Portugal vai assinar esta quarta-feira com a Guiné-Bissau um novo programa estratégico de cooperação de 60 milhões de euros e que vigorará até 2025, anunciou, em comunicado, o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) português.

O Programa Estratégico de Cooperação (PEC) 2021-2025 “terá um envelope financeiro indicativo de 60 milhões de euros, sujeito a revisão anual, para os cinco anos de vigência”, adiantou o comunicado. O documento será assinado pelo ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, e pela ministra dos Negócios Estrangeiros, Cooperação Internacional e Comunidades da Guiné-Bissau, Suzi Barbosa.

Segundo a diplomacia portuguesa, o plano foi “elaborado de acordo com as prioridades e objetivos de desenvolvimento da Guiné-Bissau” e irá abranger projetos nas áreas da educação e cultura, justiça, segurança e defesa, saúde, assuntos sociais e trabalho, agricultura, pescas, energia e ambiente, infraestruturas, economia e finanças.

Será dado particular enfoque à promoção de parcerias com outros atores, públicos e privados, nacionais e internacionais, nomeadamente com o setor privado, organizações não-governamentais para o desenvolvimento (ONGD), fundações, academia e a comunidade doadora internacional, em particular as Nações Unidas e a União Europeia”, explicou a nota do MNE.

O Programa Estratégico de Cooperação Portugal/Guiné-Bissau 2015-2020 tinha um orçamento indicativo de 40 milhões de euros, cuja execução foi ultrapassada.