Um desenho original do autor belga Hergé, feito em 1936 para a capa da banda desenhada “O lótus azul”, protagonizada por Tintin, foi vendido esta quinta-feira pelo valor recorde de 2,6 milhões de euros, num leilão em Paris.

De acordo com a leiloeira Artcurial, o desenho foi vendido por 2,6 milhões de euros, batendo um recorde mundial de um leilão de uma obra de banda desenhada. O recorde anterior tinha sido atingido em 2014, quando outra obra de Hergé foi leiloada por 2,5 milhões de euros.

A obra de arte hoje vendida diz respeito a um desenho que Hergé fez em 1936, a pensar na capa do quinto álbum de BD da série do repórter Tintin, intitulada “O lótus azul”.

O desenho tinha sido descartado pelo editor, Casterman, por considerar que a técnica utilizada por Hergé iria aumentar os custos de produção do livro.

A capa revela Tintin e o cão Milú dentro de um jarrão de porcelana chinesa, escondendo-se de um dragão vermelho, sob fundo preto, tendo Hergé oferecido o desenho ao filho do empresário Jean-Paul Casterman, que o manteve guardado até à morte, em 2009.

“O lótus azul” narra uma aventura em Xangai, na China, onde Tintin tenta resolver um mistério que envolve espionagem e tráfico de ópio.

Tintin é considerado uma das mais populares personagens de banda desenhada e apareceu, pela primeira vez, a 10 de janeiro de 1929 no suplemento juvenil Le Petit Vingtième.

Hergé, nome artístico de Georges Rémi, desenhou centenas de páginas de aventuras publicadas em mais de 20 álbuns, como “A estrela misteriosa”, “Tintin no Tibete”, “Tintin no Congo” e “As sete bolas de cristal”, traduzidos em 77 línguas, e que venderam mais de 200 milhões de exemplares em todo o mundo.

Hergé morreu em 1983, aos 75 anos, deixando incompleto “Tintin e Alpha-Art”.

Todos os álbuns desta série estão editados em Portugal, sendo o protagonista designado Tintin (e não Tintim) à luz de uma revisão da tradução feita em 2010.