Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Mais um episódio do pingue-pongue em que se transformou a campanha presidencial. Depois do movimento “batom vermelho”,  André Ventura deu um passo em frente e desafiou agora os apoiantes a lançarem o movimento “batom negro”.

“Por mim, meus amigos, os meus lábios seriam pintados de preto pelo luto que tenho pelo estado da nação. Chamemos-lhe campanha dos lábios negros porque é forma como devemos dizer o estado em que o país está”, afirmou o candidato do Chega, durante um comício em Bragança para poucas dezenas de militantes.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.