O pesadelo começou logo de manhã. A sobrelotação das urgências do Centro Hospitalar da Unidade de Torres Vedras devido à crise pandémica provocou filas de ambulâncias à porta daquela unidade — situação que se foi agravando ao longo do dia. Durante a noite chegaram a estar 11 ambulâncias paradas em fila indiana com as luzes ligadas, o que obrigou os profissionais de saúde a fazer a triagem dos doentes Covid-19 dentro das viaturas enquanto não surgia uma vaga.

Ao que o Observador apurou junto dos Bombeiros de Torres Vedras, as filas duram desde manhã desta sexta-feira, mas foram se agravando ao longo do dia. Houve mesmo um caso de um doente que ficou sete horas dentro da ambulância à espera. Outro teve mesmo de receber oxigénio dentro do veículo.

Na urgência de doentes não-Covid a situação era idêntica ainda que com menos ambulâncias à espera.

Nas redes sociais começaram a circular vídeos que mostram a longa fila de ambulâncias:

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Doentes do Santa Maria também esperaram em ambulâncias durante horas

Uma situação semelhante aconteceu também no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, onde permaneceram várias ambulâncias numa longa fila às espera de vaga na urgência da Covid-19, avançou a TVI. Chegaram a estar cerca de seis a sete ambulâncias que estão “horas” à espera de uma vaga, o que, tal como aconteceu em Torres Vedras, obrigou os profissionais de saúde a fazer a triagem dos doentes nas próprias ambulâncias.