Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Os portugueses começam a votar este domingo, uma semana antes das presidenciais marcadas para o próximo dia 24 de janeiro. Ao todo, estão inscritos 246.880 eleitores, um número considerado recorde. E ao longo desta manhã já se verificava uma grande afluência de cidadãos para exercer o voto antecipado em diversas assembleias de voto do país.

Na Cidade Universitária, em Lisboa, por exemplo, as filas chegaram a ultrapassar os 450 metros e a demora para votar era superior a uma hora.

Em Coimbra os relatos eram de uma hora e meia de espera para votar, com longas filas, como a que se pode ver no vídeo em baixo.

O distanciamento social, que os cidadãos estão obrigados a respeitar entre si, e as restrições sobre o número total de pessoas que podem estar ao mesmo tempo no interior de uma assembleia de voto está na origem das filas e na demora em votar.

Em declarações aos jornalistas, a candidata presidencial Ana Gomes criticou o facto de nos últimos 10 meses não ter sido preparada a possibilidade de voto eletrónico e de voto por correspondência. “É uma vergonha para a nossa República”, disse. “Houve tempo”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR