Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Pão de Forma eléctrico é, muito provavelmente, o modelo mais bem concebido da nova gama ID da Volkswagen, assumindo-se como um sucessor do furgão de carga e de passageiros de 1950, o denominado Type 2, que saltou para o estrelato associado ao movimento hippie dos anos 60, sobretudo nos EUA.

Quando o construtor alemão mostrou pela primeira vez o ID Buzz, no Salão de Detroit de 2017, a aceitação do simpático modelo foi tal (então apenas na versão de passageiros) que a questão que todos colocaram foi quando passaria à produção em série. A VW viria depois a confirmar que o novo Pão de Forma não seria uma versão prioritária, assente na plataforma MEB da gama ID, pelo que a fabricação aconteceria apenas depois do ID.3 e ID.4, em 2021. Posteriormente, adiou o arranque da produção para 2022.

A VW avançou ainda que o ID Buzz poderia acolher baterias com capacidades de até 111 kWh, com a potência a poder atingir 370 cv, sem que isto impedisse o surgimento de versões mais simples e acessíveis, com acumuladores com 83 kWh e só um motor colocado atrás, com 270 cv.

Vem agora o CEO da Volkswagen dos EUA, Scott Keogh, anunciar que, afinal, o lançamento do ID Buzz vai derrapar para 2023. É certo que esta previsão diz respeito ao mercado norte-americano, mas não é menos verdade que não faz sentido esperar que o Pão de Forma surja primeiro na Europa, pelo menos com grande antecedência, atrasando a sua introdução precisamente no mercado onde ele promete ser mais importante.

“Seria desejável que o ID Buzz chegasse já no próximo ano, mas infelizmente não chegará tão depressa”, disse Keogh, para de seguida confirmar que “a aceitação do modelo foi tremenda”. De recordar que a VW fabricará o ID Buzz na fábrica que possui em Chattanooga, no estado americano do Tennessee, enquanto as versões europeias do furgão serão produzidas na fábrica que o grupo possui em Hanover, no norte da Alemanha. Sendo expectável que seja Hanover a arrancar com a fabricação, até porque está mais próximo de casa (na sede da marca em Wolfsburg), o que facilitará a solução de eventuais problemas, que tradicionalmente surgem sempre que se inicia a produção de um novo modelo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR