Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Era, na verdade, uma despedida anunciada. Em abril do ano passado, Phil Neville já tinha anunciado que iria deixar a seleção feminina de Inglaterra depois do final do contrato, no próximo mês de julho, e que já não estaria ao leme da equipa nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Confrontada com essa inevitabilidade, a Federação inglesa apressou-se a garantir a contratação de Sarina Wiegman, atual selecionadora da Holanda, que vai mudar-se para Inglaterra depois da edição olímpica do Japão. O que a Federação inglesa não podia antecipar era que Phil Neville, afinal, vai sair já durante o atual mês de janeiro. 

Sarina Wiegman, a “chosen one” que os ingleses querem para roubar a hegemonia do futebol feminino aos Estados Unidos

Em comunicado, o organismo que regula o futebol inglês anunciou que o antigo lateral do Manchester United vai deixar a equipa com efeitos imediatos. “Esta decisão de saída imediata significa que a Federação vai anunciar em breve o nome de um treinador interino que vai assumir a equipa em fevereiro, sendo que Sarina Wiegman vai começar esse cargo de forma efetiva a partir dos Jogos Olímpicos de agosto. O processo de recrutamento já tinha começado depois da saída da treinadora adjunta Rehanne Skinner, em novembro, para se juntar ao Tottenham Hotspur”, pode ler-se na nota, onde fica claro que a seleção inglesa será orientada por um técnico interino em Tóquio, tal como já tinha sido indicado anteriomente.

O motivo da mudança de planos de Phil Neville foi uma aproximação do Inter Miami, o clube da MLS norte-americana que foi fundado por David Beckham e que entretanto confirmou a chegada do técnico. Beckham e Neville são amigos próximos desde os tempos do Manchester United e juntos são co-proprietários do Salford, um clube da quarta divisão inglesa — num grupo de donos onde se incluem ainda Gary Neville, Paul Scholes, Ryan Giggs e Nicky Butt. O antigo jogador vai assim substituir Diego Alonso, argentino que saiu do Inter Miami logo na primeira semana de 2021 depois de uma temporada de estreia abaixo das expectativas e de um alegado contacto do Peñarol.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Assim, Phil Neville vai então assumir a equipa onde jogam atualmente Higuaín e Matuidi e que ficou no 10.º lugar da Conferência Este da MLS, com apenas 24 pontos conquistados ao longo de 23 jogos disputados. Também em comunicado, o antigo jogador do Manchester United e do Everton, agora com 43 anos, garantiu que foi uma “honra” treinar a seleção inglesa. “Tive três dos melhores anos da minha carreira com a Federação inglesa e com esta equipa. As jogadoras que vestem a camisola de Inglaterra são algumas das atletas mais talentosas e dedicadas com quem alguma vez tive o privilégio de trabalhar. Desafiaram-me e melhoraram-me enquanto treinador e estou muito grato pelas memórias fantásticas que partilhámos”, começou por dizer o agora ex-selecionador.

“Gostaria de agradecer à Federação pelo enorme apoio que me deram (…) A energia, dedicação e entusiasmo têm sido cruciais para nos ajudar a atingir o progresso que atingimos. Desejo à seleção todo o sucesso no futuro e fico ansioso por seguir esta jornada nos próximos anos”, concluiu Phil Neville. Já como treinador do Inter Miami, o inglês disse estar “incrivelmente maravilhado” pela oportunidade”. “Este é um clube muito recente, com muito potencial, e estou dedicado à tarefa de me desafiar a mim, aos meus jogadores e a toda a gente à nossa volta para construir uma cultura competitiva da qual nos podemos orgulhar”, explicou, num comunicado onde é ainda indicado que Neville ainda está pendente do visto para trabalhar nos Estados Unidos e onde David Beckham lembra que os dois “partilham o mesmo ADN futebolístico”.

(atualizado às 17h14 com a confirmação de que o Inter Miami anunciou Phil Neville como novo treinador do clube)