“Isto é absolutamente vergonhoso” — é desta forma que Joaquim Miranda Sarmento, presidente do Conselho Estratégico Nacional do PSD, descreve as críticas feitas pela socialista Ana Catarina Mendes ao deputado social-democrata Ricardo Baptista Leite, que relatou, através das suas redes sociais, o dia que viveu no Hospital de Cascais, quando no sábado se encontrava a trabalhar como profissional de saúde voluntário.

Foi também através das redes sociais que Miranda Sarmento saiu em defesa do médico e deputado do PSD, acusando Ana Catarina Mendes, líder parlamentar do PS, de ser “uma aparathick que nunca fez nada fora da política” e dizendo que “está apenas a julgar os outros por si própria”. Este é o mais recente desenvolvimento de um combate político que começou depois da divulgação do depoimento de Ricardo Baptista Leite.

A 17 de janeiro, Baptista Leite partilhou na sua conta de Instagram um vídeo onde relatava aquilo que presenciou no dia anterior, enquanto médico voluntário no “covidário” do Hospital de Cascais. Na gravação, com pouco mais de dois minutos, o deputado dizia sentir uma “enorme frustração e angústia” por nunca ter visto “tantas pessoas morrerem num só turno de 12 horas”: “A dor e o sofrimento são indescritíveis”.

Há um ano ninguém imaginava que estaríamos a lutar contra um inimigo invisível que entrou nas nossas vidas, individual e…

Posted by Ana Catarina Mendes on Monday, January 18, 2021

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Já na segunda-feira, Ana Catarina Mendes recorreu à sua conta de Facebook para acusar Baptista Leite de ser um “voluntário pela metade”, por ter “sérias dúvidas do seu desinteresse” no contribuir enquanto médico para o trabalho desenvolvido no hospital em questão. A líder do grupo parlamentar do PS assume que “é verdade o momento de dificuldade do nosso Sistema de Saúde e a situação de desgaste dos nossos profissionais”, mas afirma que a “mortandade” que o deputado social-democrata relatou “não é verdade”.

Ana Catarina Mendes diz que nesse sábado descrito por Baptista Leite “faleceram três pessoas no covidário, cuja morte muito lamentamos, e cinco foram transferidas para a UCI”, informação que diz ter recolhido junto do próprio hospital. E insistiu: “Diga a verdade do que viu. Pressão sobre o #SNS? Sem dúvida! Mas a forma como fala no vídeo que publicou é demagógica e sabe que causa um alarmismo inexplicável!”.