Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Logo no início da temporada, Sporting e Gil Vicente viram a estreia na Primeira Liga ser adiada devido a surtos de Covid-19 no seio dos dois clubes. A partida foi empurrada para o final de outubro, acabou com a vitória dos leões mas foi apenas a ponta do icebergue de um rol de casos positivos que acabou por ir afetando cada uma das equipas do Campeonato – e que acelerou de forma expressiva a partir do passado mês de dezembro. 

Em resumo, só seis clubes dos 18 que fazem parte da Primeira Liga não detetaram qualquer caso positivo entre os meses de dezembro e janeiro – P. Ferreira, Moreirense, Portimonense, Nacional, Farense e Boavista –, sendo que duas destas equipas, o Moreirense e o Boavista, tinham atravessado em novembro os surtos mais preocupantes desde o início da temporada, com 22 casos no conjunto de Moreira de Cónegos e 10 nos axadrezados. Em oposição, Benfica, FC Porto, V. Guimarães e Tondela registaram desde o início de 2021 o maior número de elemento infetados a partir do arranque da temporada, entre jogadores, equipas técnicas e staff.

Ao todo, e num lapso de pouco mais de 30 dias, foram registados mais de 50 casos apenas em jogadores, a que se juntaram dezenas de outras infeções entre equipa médica, staff e demais elementos das equipas.

Na lista de todos os casos positivos detetados pelas 18 equipas da Primeira Liga desde o início da temporada destacam-se Nacional e Farense, os dois únicos clubes que nunca confirmaram oficialmente qualquer infeção por Covid-19. A imprensa regional madeirense já deu conta de dois casos na equipa principal do Nacional, informação que nunca foi confirmada pelo clube, enquanto que os algarvios só deram conta de um caso positivo na equipa satélite que atua nos Distritais.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Sporting (11 casos em jogadores)

  • Setembro (9): Borja, Rodrigo Fernandes, Nuno Santos, Renan, Gonçalo Inácio, Pedro Gonçalves, Luís Maximiano, Eduardo Quaresma e João Palhinha + Rúben Amorim (treinador principal) e João Pedro Araújo (líder do departamento médico)
  • Novembro (1): Gonzalo Plata
  • Janeiro (1): Luís Neto + Carlos Fernandes (treinador adjunto), Gonçalo Álvaro (preparador físico) e Paulinho (técnico de equipamentos)

Sporting, Benfica e FC Porto já tiveram (ou têm) 36 jogadores infetados. Mais de metade foram nos últimos 27 dias

Benfica (13 casos confirmados em jogadores)

  • Maio (1): David Tavares
  • Setembro (1): Svilar
  • Novembro (4): Weigl, Darwin Núñez, Taarabt e Daniel dos Anjos
  • Dezembro (5): Pizzi, Gonçalo Ramos, Jardel, Seferovic e João Ferreira + Tiago Pinto (então diretor geral do futebol)
  • Janeiro (19): Gabriel, Cervi, Waldschmidt, Vertonghen, Diogo Gonçalves, Gilberto e Grimaldo + Luís Filipe Vieira (presidente) e mais 11 novos casos entre equipa técnica, staff e do departamento médico e de performance

Primeiro três, depois cinco com dois isolados, agora 17 (só desde sábado): Covid-19 ataca Benfica e cinco dos infetados são jogadores

FC Porto (10 casos em jogadores)

  • Novembro (1): Loum + Diamantino Figueiredo (treinador de guarda-redes)
  • Janeiro (9): Cláudio Ramos, Wilson Manafá, Fábio Vieira, Carraça, Francisco Meixedo, Otávio, Sérgio Oliveira, Luis Díaz e Evanilson
  • Nota: alguma comunicação atribuiu um caso positivo na altura da retoma (maio/junho) ao FC Porto que nunca foi confirmado pelo clube

Sp. Braga (5 casos em jogadores)

  • Novembro (1): Fransérgio
  • Dezembro (4): Bruno Viana, Tormena, David Carmo e Castro + quatro elementos do staff

P. Ferreira (2 casos em jogadores)

  • Setembro (2): João Amaral e Diaby
  • Outubro (1): Pepa (treinador)

V. Guimarães (17 casos em jogadores)

  • Maio (3): três jogadores
  • Outubro (3): Sacko, Mumin e Mensah
  • Dezembro (5): Nicolas Tiê, Ouattara, Suliman, Jonas Carls e Lyle Foster
  • Janeiro (6): Janvier, Rochinha, Bruno Duarte, Estupiñan, Poha e Joseph

Moreirense (9 casos em jogadores)

  • Maio (1): Abdu Conté
  • Setembro (1): um jogador cuja identidade não foi revelada
  • Outubro (9): Miguel Oliveira, Kewin, Nuno Costa, Matheus Silva, Galeno, Ibrahima Camará, Derik Lacerda + Ricardo Soares (treinador) e Raúl Faria (treinador adjunto)
  • Novembro (22): 22 casos cuja identidade não foi detalhada, entre jogadores, equipa técnica e staff

Marítimo (2 casos em jogadores)

  • Outubro (1): Zainadine
  • Janeiro (1): Rodrigo Pinho

Santa Clara (2 casos em jogadores)

  • Dezembro (2): Rafael Ramos e André Ferreira

Rio Ave (1 caso em jogadores)

  • Dezembro (1): Lucas Piazon

Tondela (5 casos em jogadores)

  • Novembro (3): Babacar Niasse, Mario González + Pedro Taborda (treinador de guarda-redes)
  • Dezembro (1): Joel Sousa
  • Janeiro (9): Rafael Barbosa, Jaume Grau, Telmo Arcanjo + Ricardo Alves (analista) e cinco casos no staff

Portimonense (1 caso em jogadores)

  • Outubro (16): Moufi + 15 casos na equipa de Sub-23

Famalicão (5 casos em jogadores)

  • Maio (7): quatro jogadores cuja identidade não foi detalhada + três casos no staff
  • Janeiro (1): Heriberto

Nacional (2 casos em jogadores por confirmar)

  • Outubro (2): a comunicação social regional deu conta de dois casos positivos na equipa principal mas o clube nunca confirmou

Gil Vicente (13 casos em jogadores)

  • Setembro (15): 10 jogadores + Rui Almeida (treinador) e quatro casos no staff
  • Janeiro (3): Denis, Ygor Nogueira e João Afonso

Farense

  • Setembro (1): de forma oficial, o clube só deu conta de um caso positivo na Associação Farense 1910, a equipa satélite que compete nos Distritais

Belenenses SAD (7 casos em jogadores)

  • Maio (1): Sithole
  • Julho (1): João Monteiro
  • Outubro (3): Cafú Phete, André Moreira e Miguel Cardoso
  • Janeiro (2): Silvestre Varela e Richard

Boavista (3 casos confirmados em jogadores)

  • Novembro (10): Alberth Elis, Ricardo Mangas, Miguel Reisinho + Vasco Seabra (treinador) e outros seis casos entre jogadores, equipa técnica e staff