Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Cerca de 5.400 cidadãos portugueses votaram antecipadamente no estrangeiro para a eleição do Presidente da República, segundo dados preliminares avançado esta terça-feira num comunicado conjunto dos ministérios da Administração Interna e dos Negócios Estrangeiros. “Este é o número mais elevado de votos antecipados no estrangeiro de que há registo”, lê-se.

O voto antecipado no estrangeiro decorreu entre os dias 12 e 14 de janeiro, em 115 postos da rede consular portuguesa localizados em 73 países. Mais de 400 destes votos são de forças militares e forças de segurança destacadas em vários teatros de operação no mundo, como o Afeganistão e a República Centro-Africana.

Em 2019, por exemplo, foram 844 os eleitores que votaram nas eleições ara o Parlamento Europeu e 4.413 para a Assembleia da República.

O voto antecipado no estrangeiro destina-se a cidadãos recenseados em território nacional, mas temporariamente deslocados no estrangeiro e que estejam a trabalhar, a estudar, em representação da seleção nacional em tatamento ou que vivam acompanhados de pessoas nestas situações.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR