217kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

O MEO ajuda-o a poupar, simule aqui.

Razões para escolher bio no supermercado

Os alimentos biológicos têm vindo a ganhar adeptos e não é para menos. Não só respeitam a natureza, como zelam pela nossa saúde. Se não os costuma incluir na lista de compras, está na hora de fazê-lo.

i

Getty Images/iStockphoto

Getty Images/iStockphoto

Nunca o ditado “somos o que comemos” fez tanto sentido. E há cada vez mais pessoas a tomar consciência deste facto. A forma como os alimentos que colocamos no carrinho do supermercado são produzidos pode ter um grande impacto na nossa saúde física e mental. O mesmo se aplica ao meio ambiente, que pode sair beneficiado ou prejudicado consoante as nossas escolhas enquanto consumidores. Não é, por isso, de surpreender que os alimentos biológicos venham a fazer cada vez mais parte das nossas preferências. Neste artigo, explicamos-lhe exatamente o que faz deles uma boa opção para as pessoas, os animais, o ambiente e para o planeta.

O que significa biológico?

Biológico. Vemos muitas vezes esta indicação no rótulo dos produtos que estão dispostos nas prateleiras dos supermercados, e muitos de nós até os temos na nossa despensa. Mas sabe realmente o que é um produto biológico? De um modo geral, por definição, um produto biológico é aquele que é obtido através de técnicas de produção que respeitam a natureza, o que inclui os solos, os recursos naturais, os animais e os seres humanos. E, claro, o critério que muitos de nós associamos automaticamente a um produto biológico: não são usados na sua produção fertilizantes ou químicos sintéticos.

Na prática, como funciona a agricultura bio?

Então, mas se na agricultura biológica não podem entrar os pesticidas e fertilizantes químicos sintéticos, o que é que é usado em alternativa? Fertilizantes biológicos/naturais, que se crê serem menos tóxicos. Os pesticidas sintéticos podem ter inúmeras consequências para a nossa saúde, como um maior risco de desenvolver várias doenças, sobretudo por acumulação (isto é, quando expomos o nosso corpo durante muitos anos a estes químicos). Além disso, na agricultura biológica, são utilizadas outras técnicas de cultivo, como a rotação de culturas, que promove uma melhor fertilidade do solo. Na agricultura bio, também os organismos geneticamente modificados (OGM) ficam de fora. Estes são plantas cujo ADN foi alterado em laboratório, muitas vezes com o objetivo de serem resistentes a pesticidas ou de produzirem um inseticida. No caso dos animais criados para a produção de carne, ovos e laticínios bio, a lei prevê que estes devem viver em condições que lhes permitam adotar os seus comportamentos naturais, como, por exemplo, poderem pastar e estar ao ar livre. Além disso, não devem tomar antibióticos, hormonas de crescimento e outros subprodutos animais. Mas estas são apenas algumas das regras que um produto tem de respeitar para receber o selo europeu biológico — aquele que tem uma folha verde e doze estrelas —, que obedece a critérios e um controlo muito rigorosos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Outras vantagens dos alimentos biológicos

Os alimentos de origem biológica são muitas vezes mais frescos do que aqueles que provêm da agricultura convencional. O motivo prende-se com o facto de não conterem conservantes para que possam permanecer um longo tempo de prateleira (isto é, não têm um prazo de validade muito prolongado). Tal significa que têm de ser consumidos num espaço de tempo mais curto a partir do momento em que são colhidos e/ou produzidos —o que é bom. Além disso, a fruta e os legumes bio são por vezes (embora nem sempre) produzidos em quintas locais, percorrendo menores distâncias entre a terra e o prato.

O ambiente também agradece

As práticas que caracterizam a agricultura biológica, ao respeitarem os recursos naturais, têm algumas vantagens para o planeta. Tais como:

  • Menores níveis de poluição;
  • Menos gastos de água;
  • Redução da erosão dos solos;
  • Promoção da fertilidade do solo;
  • Gastos mais baixos de energia.

Além disso, o facto de não se recorrer a pesticidas sintéticos, faz da agricultura biológica um método de produção mais benéfico para pássaros e outros animais, assim como para as pessoas que vivam perto da quinta ou local onde esses alimentos são produzidos.

Benefícios para a saúde

São vários os estudos que têm vindo a ser feitos e que comparam o perfil nutricional dos alimentos biológicos com os alimentos de produção convencional. A maior parte desses trabalhos científicos não demonstra grandes discrepâncias em termos de vitaminas e minerais. Contudo, podem verificar-se pequenas diferenças em certos produtos bio, como níveis mais elevados de vitamina C e de alguns minerais, como fósforo, magnésio e ferro. Algumas evidências apontam para um teor mais elevado de alguns tipos de flavonoides, que têm propriedades antioxidantes. O leite biológico e os seus derivados, como iogurtes, podem conter níveis mais elevados de ácidos gordos ómega-3 — que estão associados a inúmeros efeitos benéficos, como um risco mais baixo de doenças cardíacas — e teores ligeiramente mais elevados de ferro, vitamina E e alguns carotenoides. Contudo, nunca é demais relembrar: optar por alimentos biológicos contribui para uma menor exposição a pesticidas.

As boas escolhas no mundo bio

A melhor forma de garantir que escolhe alimentos que, além de biológicos, são saudáveis é conhecendo-os. Comece pelo rótulo e prefira os que não contêm um elevado teor de gordura, sal ou açúcares adicionados. Deixamos-lhe uma sugestão: Mimosa Biogurte. Disponíveis em cinco variedades — dois sabores diferentes para beber (Morango/Mirtilo, Framboesa e Arandos) e três versões para saborear à colher (Natural/ Aveia e Maçã/ Mirtilo Cassis) —, na receita destes iogurtes não entram corantes, conservantes e aromas artificiais.

6 fotos

A variedade Natural dos Biogurte Mimosa é feita apenas com dois ingredientes: leite e fermentos naturais. Por isso, pode ser consumida a partir dos 8-9 meses de idade. Seja para miúdos ou graúdos, é a base perfeita para personalizar com fruta fresca, mel ou frutos secos.

Mimosa Biogurte: iogurte bio numa embalagem mais eco

Mostrar Esconder

A origem dos materiais é importante. E é por isso que o cartão que mantém as embalagens de Biogurte agrupadas é proveniente de florestas com certificado FSC (à base de cartão proveniente de fontes responsáveis). Já as embalagens, embora de plástico, são de tampa e taças únicas, reduzindo a quantidade de materiais necessários.

Uma opção saborosa e saudável para o pequeno-almoço ou lanche, não concorda? Os celíacos também podem consumir as cinco variedades dos Biogurte Mimosa, que são isentos de glúten. E, para garantir que são de origem biológica, todos os ingredientes são provenientes de produtores certificados. Para que não restem (mesmo!) dúvidas quanto aos Biogurte Mimosa, são certificados pela Ecocert, um entidade independente que garante e certifica o cumprimento de todos os critérios quanto ao modo de produção biológico. Melhor ainda é saber que estes iogurtes são produzidos em Portugal.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.