A recuperação da economia portuguesa foi interrompida no final do ano, de acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística. “A informação disponível para novembro e dezembro revela uma interrupção da recuperação parcial da atividade económica observada desde maio”, indica o INE.

A síntese económica de conjuntura, publicada esta quarta-feira, explica que há vários indicadores a sustentar aquela conclusão. Desde logo, “o montante global de levantamentos nacionais, de pagamentos de serviços e de compras em terminais de pagamento automático na rede multibanco registou, em termos homólogos, reduções de 11,8% e 7,8% em novembro e dezembro, respetivamente”, depois de ter caído 6,3% em outubro.

Por outro lado, em dezembro, “as vendas de veículos automóveis registaram taxas de variação homóloga de -19,6% nos automóveis ligeiros de passageiros, -19,1% nos comerciais ligeiros e -15,7% nos veículos pesados”.

Apesar de tudo, “os indicadores de confiança dos consumidores e de clima económico aumentaram em dezembro face ao mês anterior”, o mesmo acontecendo “com os indicadores de confiança na Indústria Transformadora, na Construção e Obras Públicas e, de forma ligeira, no Comércio”. Em sentido contrário, nos Serviços “o indicador diminuiu”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

PIB disparou 13,2% no terceiro trimestre em relação ao trimestre anterior. Mas caiu 5,8% na comparação anual