A International Fact Checking Network (IFCN), a maior organização mundial de verificadores de factos — de que o Observador faz parte desde 2017, quando se tornou o primeiro órgão de comunicação social português a integrar a plataforma —, foi proposta para o Nobel da Paz deste ano. A nomeação, feita pela ex-ministra da Educação e da Cultura da Noruega, Trine Skei Grande, foi divulgada esta quinta-feira pela imprensa norueguesa. “Sensibilizado pela nomeação”, o IFCN considera, em comunicado, que isso representa “uma importante validação do trabalho dos fact-checkers em todo o mundo”.

A nomeação foi tornada pública pelo jornal norueguês NRK, na manhã desta quinta-feira. “Vivemos uma época em que as notícias falsas se difundem mais rápido do que nunca e em que demonizamos as opiniões uns dos outros cada vez mais”, diz Trine Skei Grande, citada pelo jornal. “O facto de alguém lutar pela verdade, lutar pelos factos e lutar para combater as notícias falsas, penso que isso é uma construção da paz”, assinala ainda a ex-ministra.

No tweet em que partilha o link da notícia, Trine Skei Grande cita Ésquilo para lembrar que, “na guerra, a verdade é a primeira vítima”. “Vivemos numa época em que lutar contra a mentira é tão importante que Joe Biden mencionou isso mesmo no seu discurso” de tomada de posse, assinala ainda a governante, antes de rematar: “Este ano, indiquei os verificadores de factos para o Prémio Nobel da Paz. Ele precisam do nosso apoio”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

No comunicado em que reage à indicação, o IFCN destaca o facto de, em todo o mundo, “muitas vezes os fact checkers desenvolvem a sua atividade sob ameaça ou sendo vítimas de ataques para melhorar a qualidade da informação e combater a desinformação, frequentemente deliberada, que polui a sociedade ou inibe a liberdade”.

As propostas para o Nobel da Paz podem ser entregues até ao início do mês de fevereiro mas só em outubro se deverá saber quem é o vencedor deste ano. A nomeação dos verificadores de factos acontece depois de um ano de intenso trabalho de desconstrução de informações falsas sobre a pandemia provocada pelo novo coronavírus e num momento em que o processo de vacinação — a luz ao fundo do túnel da pandemia — começa a ser alvo de sucessivos conteúdos falsos.

O IFCN, do Poynter Institute for Media Studies, reúne dezenas de verificadores de factos de todo o mundo. As entidades que integram este rede internacional respeitam um código de princípios que promove a transparência e a independência dos jornalistas que se dedicam a combater a desinformação que circula no espaço público.

[Artigo atualizado às 21h07 do dia 21 de janeiro com a reação do IFCN à indicação para o Prémio Nobel da Paz]