Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A gama do Taycan, o primeiro eléctrico da Porsche, está finalmente completa, estendendo-se da versão Turbo S, proposta por 193 mil euros, até à recém-chegada mais acessível, denominada apenas Taycan, à venda por 87.127€. Pelo meio ficam o 4S e o Turbo por, respectivamente, 159 e 111 mil euros. Ao contrário dos restantes modelos da gama, o “só” Taycan monta apenas um motor, atrás, o que lhe assegura tracção só às rodas posteriores, o que associado à bateria de menor capacidade (oferece uma segunda maior, como opção) explica o preço mais em conta.

Sem diferenças visíveis no exterior face ao Taycan 4S ou aos dois Turbo, o novo Taycan distingue-se pela opção mecânica. Em vez dos dois motores, um por eixo para garantir tracção às quatro rodas, o “só” Taycan monta no eixo traseiro um motor de 326 cv que, graças à função overboost com o sistema launch control, permite elevar a fasquia para 408 cv durante uns breves segundos. A rapidez com que vai de 0 a 100 km/h cifra-se nos 5,4 segundos, para a velocidade estar limitada a 230 km/h.

A outra forma de reduzir os custos foi propor o mais barato dos Taycan com a bateria de menor capacidade (79,2 kWh), entre as duas que a Porsche oferece, dispondo a maior de 93,4 kWh. Curiosamente, à maior capacidade não corresponde qualquer alteração na velocidade máxima ou na rapidez no arranque, isto apesar de nesta versão anunciar 380 cv, em condições normais, e 476 cv em overboost com launch control, com a Porsche a não especificar durante quanto tempo os cavalos adicionais estão à disposição do condutor, mas que alguma imprensa estima em 2,5 segundos.

4 fotos

Com o acumulador mais pequeno, a berlina eléctrica anuncia uma autonomia de 431 km, que sobem para 484 km com a bateria de 93,4 kWh. Se o ganho em autonomia é interessante, com ele vem igualmente um custo superior, uma vez que os 14,2 kWh “extra” obrigam a um investimento adicional de 5916€, o que coloca o preço do Taycan mais acessível, mas com a bateria maior, nos 93.043€. Isto se pretendermos ficar pelo carregador interno de 11 kW, pois o de 22 kW, idêntico ao Renault Zoe, exige mais 1722€.

Como sempre que se fala do Porsche Taycan é necessário falar do Tesla Model S, uma vez que desde o início que os responsáveis pela marca alemã sempre insistiram comparar a sua berlina com a americana, o novo Taycan baixo de gama, proposto por 87.127€, concorre com o Model S Long Range, à venda por 86.990€. Contudo, a berlina da Tesla é mais potente (541 cv) e conta com quatro rodas motrizes, alcançando ainda 250 km/h e os 100 km/h em 3,8 segundos. Mas talvez a diferença mais importante resida na autonomia, pois o Long Range anuncia 652 km em WLTP, contra os 431 km do Porsche. E mesmo que se considere o Taycan baixo de gama com a bateria maior, de 93,4 kWh, o preço do modelo alemão sobe, mas a autonomia continua 34% abaixo do rival.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR