O grupo parlamentar do PSD vai participar na quinta-feira numa ação voluntária de recolha de sangue na Assembleia da República, em resposta aos apelos à dádiva face à escassez das reservas.

Numa nota enviada às redações, o grupo parlamentar escreve que “não ficou indiferente aos vários alertas sobre as baixas reservas de sangues nas unidades hospitalares” e, por isso, convida todos os deputados e funcionários a participarem numa ação voluntária de recolha.

A recolha vai ser feita pelo Instituto Português do Sangue e decorre durante a tarde na Assembleia da República.

Na semana passada, o Instituto Português do Sangue apelou à dádiva, lembrado que as suas reservas dão para entre quatro e 19 dias e que os grupos sanguíneos mais afetados são o A positivo, A negativo, O negativo e B negativo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Numa nota enviada às redações, o Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST) alerta para o facto de os meses de janeiro e fevereiro serem “particularmente exigentes para a manutenção das reservas de sangue em níveis confortáveis”, devido ao frio e às constipações, sublinhando que, este ano, a situação é agravada pela pandemia de covid-19, as medidas de confinamento e as regras para garantir a segurança para dadores e profissionais.

Também a Federação Portuguesa de Dadores Benévolos de Sangue (Fepodabes) tinha apelado à dádiva de sangue, alertando que diversos grupos sanguíneos apresentam reservas nacionais inferiores a sete dias.