Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

No dia 4 de janeiro Boris Johnson ordenou o encerramento de todas as lojas e estabelecimentos não essenciais, escolas e universidades durante pelo menos seis semanas e emitiu a ordem para que as pessoas ficarem em casa, exceto por motivos essenciais, como fazer exercício e compras de supermercado, ou trabalhar se não puderem fazê-lo remotamente.

Já esta quarta-feira, o primeiro-ministro britânico disse que o governo estava a trabalhar numa estratégia gradual de três fases para levantar o confinamento em vigor desde o início de janeiro e reabrir a sociedade e a economia em Inglaterra.

A decisão final só será conhecida no final de fevereiro, mas ao que o jornal britânico The Telegraph apurou as autoridades estão a trabalhar num plano que prevê manter a maioria das lojas encerradas até abril, e pubs e restaurantes até maio.

Quanto às escolas, não deverão ser reabertas antes de 8 de março, decisão que depende do sucesso do plano de vacinação, revelou também Boris Johnson na quarta-feira

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em declarações ao The Telegraph, uma fonte do governo adiantou que, ainda que as escolas voltem a abrir em março, poderá ser necessário pelo menos mais um mês para que as lojas não essenciais sejam reabertas. Isto significa que, na melhor das hipóteses, as lojas poderão voltar a abrir ao público em abril.

Os especialistas que estão a definir a estratégia faseada para a abertura estão a ponderar levantar cada uma das restrições com pelo menos um mês de intervalo, para que o seu impacto possa ser monitorizado.

Nesta lógica, e assumindo que as lojas poderão reabrir em abril, as restrições a pubs e restaurantes só poderão ser levantadas a partir de maio.