O presidente da Assembleia da República assinalou esta quinta-feira, em plenário, os 200 anos da sessão inaugural das Cortes Constituintes de 1821, com um discurso em que salientou que este foi o primeiro parlamento português.

Falando na abertura dos trabalhos em plenário, Ferro Rodrigues referiu-se ao teor da sua mensagem divulgada na terça-feira, na qual se recorda que as Cortes Constituintes de 1821 foram uma “consequência natural das eleições gerais concluídas em dezembro de 1820”.

Essas eleições, de acordo com o presidente da Assembleia da República, “determinaram a composição do primeiro parlamento português”.

Eleições Gerais que foram um dos passos mais arrojados e um dos momentos mais importantes da Revolução Liberal, cujas origens — a par com as movimentações liberais de 1817 e com o Sinédrio de 22 de janeiro de 1818 — podemos encontrar na proclamação escutada no Campo de Santo Ovídio, na cidade do Porto, em 24 de agosto de 1820″, apontou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na sua breve intervenção, Ferro Rodrigues lamentou que a Assembleia da República, nas atuais circunstâncias do país, confrontado com uma grave epidemia de Covid-19, não tenha podido celebrar esta data como gostaria.

Mas é meu dever, enquanto presidente da Assembleia da República, e é dever de todos nós, deputadas e deputados, evocar os parlamentares que, há 200 anos, iniciariam o longo caminho que nos trouxe até aqui. Duzentos anos volvidos da sessão inaugural cabe-nos evocar este que foi um dos momentos fundadores do regime constitucional, e os princípios e valores liberais e democráticos, cujo bicentenário temos vindo a celebrar desde 2018″, acrescentou.