O duque de Sussex aceitou o pedido de desculpas e uma indemnização por “danos substanciais” da Associated Newspapers, que detém o The Mail On Sunday e o MailOnline. Em causa estão dois artigos publicados em outubro de 2020, que alegavam que Harry teria desprezado os Royal Marines após deixar o cargo enquanto membro sénior da realeza, segundo a a Sky News.

A representar Harry, Jenny Afia argumentou que as histórias “sem fundamento, falsas e difamatórias” publicadas no Mail on Sunday e na página do MailOnline constituíram não só “um ataque pessoal ao carácter do duque”, mas também fizeram questionar de modo erróneo o serviço de Harry ao país.

Príncipe Harry perde processo contra tabloide britânico

Os dois artigos, praticamente idênticos, defendiam que generais de topo acusavam Harry de ter virado as costas aos Royal Marines, alegando ainda que o duque não estava em contacto com eles desde março. O Mail On Sunday publicou um pedido de desculpas no dia 27 de dezembro, onde referia que o duque estava em contacto com a Marinha britânica. Considerando que não foi dado ao pedido de desculpas o mesmo destaque que aos artigos originais, a equipa jurídica de Harry pediu que o acordo entre as partes fosse lido em audiência pública.

Meghan Markle chega a acordo em tribunal com agência de paparazzi

Os advogados de Harry afirmaram esta segunda-feira de manhã, após uma breve audiência remota, que a Associated Newspapers aceitou que as alegações eram falsas, embora “danos consideráveis” já tivessem ocorrido. Não se sabe ao certo em quanto Harry foi indemnizado, embora todo o dinheiro vá ser doado à Invictus Games Foundation — o evento multidesportivo e internacional foi criado em 2014 por Harry e é dedicado aos veteranos das forças armadas que ficaram feridos e que aí competem em várias modalidades.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Harry serviu como oficial do Exército durante 10 anos e, como membro da família real, possui vários títulos militares honoríficos.

Em dezembro foi a vez de Meghan Markle chegar a acordo em tribunal com a agência de paparazzi Splash News, que aceitou nunca mais fotografar Meghan, Harry e Archie, num processo que está relacionado com fotografias tiradas num passeio em família no início de 2020.