Os protestos que acabaram por levar à invasão do Capitólio, em Washington, a 6 de janeiro, tiveram financiamento de importantes apoiantes de Donald Trump, incluido Alex Jones, fundador do portal de propaganda Infowars, de acordo com o Wall Street Journal.

O jornal americano, com base em vários testemunhos, garante que esse grupo de apoiantes gastou um total de 500 mil dólares: Alex Jones, que esteve presente nos protestos, e que foi suspenso das principais redes sociais, financiou o evento em 50 mil dólares; outro importante aliado de Trump, Julie Jenkins Fancelli, que no ano passado doou quase um milhão de dólares à campanha de Trump, deu outros 300 mil dólares para estes protestos; e Ali Alexander, promotor do movimento “Stop the Steal”, que levantou a suspeição generalizada sobre as eleições que deram a vitória de Biden, ajudou a arrecadar mais financiamento.

Os momentos chave da invasão do Capitólio por apoiantes de Trump

Os primeiros protestos desse dia, nas imediações do Capitólio, cumpriam a lei, mas foi daí que os apoiantes de Trump partiram para a invasão, ao final da tarde, depois de começar o processo de certificação dos votos eleitorais. O Congresso acabaria por ratificar a vitória de Joe Biden, que tomou posse a 20 de janeiro.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Donald Trump é acusado por muitos de ter incitado à invasão, ao ter proferido uma série de declarações inflamatórias nesse dia. Os protestos resultariam em cinco mortes, incluindo um polícia do Capitólio.

Morreu agente da polícia ferido durante a invasão ao Capitólio dos EUA. É a quinta vítima mortal