O ministro da Administração Interna afirmou esta sexta-feira que seria um “escândalo” alguém estar a receber sem trabalhar, numa referência à integração da antiga diretora do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras no grupo de trabalho sobre reestruturação do regime de vistos Gold.

“O que seria um escândalo, seria dizer que alguém está a receber e não está a trabalhar”, afirmou Eduardo Cabrita, depois de ser questionado pelos jornalistas sobre a integração da ex-diretora nacional do SEF Cristina Gatões no grupo de trabalho que vai propor medidas de alteração do regime dos vistos Gold.

O ministro falava aos jornalistas em Castelo Branco, onde presidiu à assinatura de um protocolo entre a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) e a MOVIJOVEM – Mobilidade Juvenil, para o funcionamento de cinco Estruturas de Apoio de Retaguarda (EAR) em pousadas da juventude.

O SEF confirmou recentemente que Cristina Gatões integra o grupo de trabalho que vai propor medidas de alteração do regime dos vistos Gold.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Cristina Gatões demitiu-se do cargo em dezembro, na sequência da polémica sobre a morte do cidadão ucraniano Ihor Homeniuk nas instalações do SEF no aeroporto de Lisboa, que resultou na acusação de três inspetores daquele serviço de segurança, cujo julgamento se iniciou esta semana.

Em comunicado, o SEF esclareceu que a inspetora coordenadora “é quadro” do serviço e que, por decisão do diretor nacional, tenente-general Luis Botelho Miguel, “integra um grupo de trabalho interno que analisa e vai propor medidas no âmbito do regime de autorização de residência para atividade de investimento”.