O TikTok está a planear expandir a sua plataforma com um serviço de comércio online destinado aos Estados Unidos, de forma a competir com o seu rival Facebook, que também dispõe de ferramentas de e-commerce, incluindo no Instagram, avançou o Financial Times.

De acordo com várias fontes que tiveram acesso aos planos, refere a publicação, esta ferramenta irá permitir aos utilizadores mais populares da app compartilhar links para produtos e ganhar uma comissão sobre as vendas, ainda que não sejam formalmente patrocinados pela marca.

A sugestão é uma das propostas da rede social chinesa anunciadas para 2021 e já foi apresentada aos vários parceiros publicitários da aplicação.

Entre as restantes ideias está também contemplada a possibilidade das marcas exibirem catálogos dos seus produtos na plataforma. E, ainda, uma ferramenta de venda “com transmissões em direto”, na qual os utilizadores poderão comprar os produtos enquanto estes são apresentados por personalidades do TikTok.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A app pretende rivalizar com os métodos encontrados pela concorrência. Há já algum tempo que o Facebook introduziu ferramentas de e-commerce tanto na sua própria plataforma como no Instagram — rede social que detém.

Apesar de tudo, algumas das empresas que utilizam estes mecanismos têm mostrado alguma relutância em avançar com publicidade no TikTok, sugerindo que “o formato e o conteúdo não amadureceram” o suficiente, o que leva a que muitas empresas com produtos mais sofisticados não se queiram comprometer, explicou ao Financial Times o responsável de uma agência de publicidade norte-americana.