Enquanto o mercado automóvel português viu as vendas de ligeiros de passageiros e de mercadorias caírem 34% em 2020, o espanhol acusou uma quebra de 32,3%. A descida é similar, mas tratam-se de mercados de dimensões muito distintas. Enquanto em Portugal se transaccionaram 172.995 ligeiros, nos 12 meses do ano passado, em Espanha, as 851.211 unidades matriculadas correspondem ao pior desempenho desde 2013 (723.936), de acordo com os dados divulgados pela Associação Espanhola de Fabricantes de Automóveis e Camiões (Anfac). E os números oficiais divulgados pela entidade espanhola revelam ainda que, num ano marcado pela pandemia, os consumidores locais preferiram compras mais em conta: o Dacia Sandero foi o campeão de vendas no acumulado do ano.

Só 9000€? Este carro tem vários trunfos e um problema

A 3.ª geração do utilitário romeno arrancou com as vendas em Espanha a meados de Dezembro, com preços inclusivamente inferiores aos da anterior geração, e isso saldou-se de imediato na venda de 3469 unidades nesse mês, um crescimento de 31,35%. Enquanto isso, nesse mesmo período, a procura do Leon recuou 10,59%, para as 2483 unidades. O compacto espanhol era o preferido dos consumidores locais desde 2017 e, até Novembro, os números levavam a crer que iria renovar o título em 2020. Sucede que a Dacia “baralhou” as contas no derradeiro mês do ano e isso permitiu ao Sandero subir ao pódio (24.035 unidades), no acumulado do ano, com a magra vantagem de 453 viaturas, pois o Leon totalizou 23.582 matrículas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Conduzimos o novo Leon. Estará à altura do Golf?

Desde 2009 que o modelo preferido dos espanhóis ostenta, invariavelmente, o emblema do fabricante de Martorell. Para encontrar outra insígnia entre os automóveis mais vendidos aqui ao lado, é necessário recuar a 2008, ano em que foi o Ford Focus o mais procurado. Agora, com o Sandero, a Dacia veio ocupar um lugar que era da Seat de há 11 anos a esta parte.

Face à escassa diferença entre as vendas do utilitário romeno e o compacto espanhol, a explicação residirá em grande parte nos orçamentos mais magros devido à crise do coronavírus, já que o Sandero é proposto em Espanha por valores desde 8300€ – bate mesmo o Fiat Panda, que era o modelo mais barato (8491€). Enquanto isso, por lá, o novo Leon tem preços a partir de 19.160€. Outro ponto a ter em conta é que como o novo Sandero só foi lançado no final do ano, a marca ter-se-á desdobrado nos habituais descontos para acabar com o stock da anterior geração, baixando ainda mais o preço de um modelo que, por si só, já é barato.

Ainda assim, globalmente, a Seat continua a ser a marca em que os espanhóis mais apostam. Num ano em que todas os construtores presentes no top 20 das vendas foram “vítimas” de quebras acima de 19%, a contenda entre os fabricantes foi altamente disputada. A Seat triunfou, com 68.721 novas matrículas em Espanha, à frente da Volkswagen (66.817) e da Peugeot (65.697).