As autoridades moçambicanas suspenderam o fornecimento de água da Barragem dos Pequenos Libombos à região de Maputo, devido ao risco de contaminação por gasóleo, na sequência do descarrilamento de um comboio que transportava combustível em Esuatini, foi esta sexta-feira anunciado.

O derrame fluiu até ao rio Umbelúzi, que abastece a Barragem dos Pequenos Libombos, decorrendo exames para verificar uma possível contaminação, anunciou a Administração Regional de Água – Sul (ARA-Sul), em comunicado.

“Porque esta situação representa um risco para o ambiente, para a qualidade de água e para os utentes do rio Umbelúzi, estão em curso ações de aferição da qualidade da água”, bem como “para mitigação e contenção dos impactos nocivos”, acrescenta.

Enquanto a situação perdurar, a Estação de Tratamento de Água do Umbelúzi será abastecida pelo rio Movene, um pequeno curso sazonal da província de Maputo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A ARA – Sul apela aos utentes e às comunidades ribeirinhas para não consumirem água do rio Umbelúzi, no troço Goba-Albufeira dos Pequenos Libombos, até ao esclarecimento da situação.

O comboio descarrilou na quinta-feira no reino de Essuatíni, a um quilómetro da fronteira com Moçambique, na linha férrea de Goba, explica o comunicado.

A ARA-Sul indica que ainda está por apurar a quantidade de gasóleo derramada no incidente.

À altura do derrame, a albufeira dos Pequenos Libombos tinha armazenados 184 milhões de metros cúbicos de água.

A barragem passou por vários meses de falta de água, devido à falta de chuvas, mas voltou a encher nos últimos tempos, graças a chuvas frequentes.