Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Nissan tem no GT-R Nismo um superdesportivo invejável, equipado com um motor que fornece 600 cv, mas sobretudo porque o seu sistema de tracção integral é extremamente versátil e coloca a potência onde o condutor quer ou necessita. É ainda o melhor representante da indústria japonesa, em termos de veículos destinados a divertir o condutor.

Com esta lista de atributos, que possibilidades de sucesso pode ter o novo Toyota GR Yaris, o novo pequeno desportivo com 261 cv e tracção às quatro rodas? Face ao motor 3.8 V6 biturbo do Nissan, o três cilindros turbo da Toyota fornece menos potência e menos força, ao debitar 360 Nm de binário contra os 652 Nm do seu rival de maior porte. Daí que o GT-R reivindique 315 km/h de velocidade máxima e 2,8 segundos para ir de 0 a 100 km/h, enquanto GR Yaris anuncia 230 km/h e 5,5 segundos, respectivamente.

Mas nem tudo desfavorece o GR Yaris, que simultaneamente é o melhor desportivo do seu segmento, com a Toyota a assegurar que consegue bater o pé a adversários maiores e mais onerosos. Se perde em potência, a pequena bomba japonesa ganha em peso, ao anunciar 1355 kg contra 1800 kg do GT-R, sendo ainda substancialmente mais curto, ao ficar abaixo dos 4 metros (3,995 m), inferior pois aos 4,69 m do Nissan.

A Autocar realizou um frente-a-frente entre os dois modelos numa pista britânica, pouco sinuosa e muito molhada. Apesar de um lado estar um GT-R (que de momento não se comercializa em Portugal, mas que em Espanha tem um preço de 220 mil euros) e do outro um GR Yaris, proposto no nosso país por 45.990€, a batalha adivinhava-se acesa, uma vez que o piso escorregadio prometia impedir o Nissan de impor todo o seu potencial. Veja o vídeo e prepare-se para uma surpresa, em que o David bate o Golias.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR