A Guiné-Bissau vai começar a cobrar pelos testes à Covid-19 para viagens marítimas e terrestres ao estrangeiro, segundo um diploma do Governo, promulgado pelo Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló. Até aqui, apenas as pessoas que realizavam viagens aéreas eram obrigadas a realizar testes no valor de 30.000 francos cfa (cerca de 45 euros).

Segundo o decreto, divulgado à imprensa, os testes para viagem marítima ao estrangeiro vão custar também 45 euros, enquanto os testes para viagem terrestre vão custar 5.000 francos cfa (cerca de 7,5 euros).

Estão isentos da obrigação de pagamento da taxa referida as crianças até 05 anos de idade e os pacientes em situação de evacuação sanitária para o estrangeiro”, precisa o decreto.

O decreto refere também que as crianças até 02 anos podem entrar no território nacional sem necessidade de apresentação de teste negativo e estão igualmente isentas de realização de teste para viajar para o exterior, salvo se o país de destino o exigir. A Guiné-Bissau regista um total acumulado de 2.950 casos de Covid-19 e 46 vítimas mortais.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na sequência do aumento de casos que se tem registado desde o início do ano, o Governo guineense decidiu decretar o estado de calamidade até 23 de fevereiro, encerrar os estabelecimentos escolares até à mesma data e cancelar as celebrações do carnaval.

O Governo vai fazer uma nova análise à situação da Covid-19 no país na quinta-feira, na reunião do Conselho de Ministros.