A Madeira reivindica mais 100 milhões de euros para obras nos portos, no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), que prevê 561 milhões de euros para a região, indicou esta quarta-feira o presidente do Governo Regional.

Há uma questão que nós vamos trabalhar e vamos reclamar, que é a situação dos portos”, disse Miguel Albuquerque, à margem de uma visita às piscinas do Complexo Desportivo da Nazaré, no Funchal, onde foram realizadas obras de requalificação no valor de 600 mil euros.

O chefe do executivo, de coligação PSD/CDS-PP, disse que, na generalidade, o Plano de Recuperação e Resiliência corresponde às “expectativas” da região autónoma, mas sublinhou que o Governo pretende mais 100 milhões de euros para projetos de beneficiação dos portos do arquipélago.

Vamos insistir em todas as instâncias que for possível”, referiu, indicando que a melhoria das infraestruturas portuárias é “fundamental e estruturante” para a economia regional.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A versão preliminar do Plano de Recuperação e Resiliência, para aceder às verbas comunitárias pós-crise da Covid-19, prevê 36 reformas e 77 investimentos nas áreas sociais, clima e digitalização, num total de 13.900 milhões de euros em subvenções, e encontra-se em consulta pública desde terça-feira.

Depois de um rascunho apresentado à Comissão Europeia em outubro passado e de um processo de conversações com Bruxelas, a versão do PRR define três “dimensões estruturantes” de aposta – resiliência, transição climática e transição digital.

A Região Autónoma da Madeira deverá receber 561 milhões de euros nos próximos seis anos para projetos, entre outros, ao nível da habitação (136 milhões), do alargamento da rede de estabelecimentos para pessoas idosas e das estruturas de apoio aos sem-abrigo (83 milhões), dos sistemas de abastecimento e regadio (70 milhões) e das redes digitais (78 milhões).

“Vamos analisar também o acesso da região e das empresas da região a um conjunto de linhas [de apoio] nacionais”, indicou Miguel Albuquerque.