O Vaticano autorizou novamente este ano a suspensão das procissões da Semana Santa e a adaptação das cerimónias da Páscoa, cabendo agora aos bispos de cada diocese decidir que medidas tomar.

A nota da Congregação para o Culto Divino, de acordo com o jornal espanhol ABC, estabelece que “as expressões de piedade popular e as procissões que enriquecem os dias da Semana Santa e do Tríduo Pascal, na opinião do Bispo diocesano, podem ser transferidas para outros dias convenientes, por exemplo, 14 e 15 de setembro”. No dia 14 de setembro é celebrada a Exaltação da Santa Cruz e no dia 15 de setembro o Dia da Nossa Senhora das Dores.

O Vaticano deixa também algumas orientações para a celebração da Semana Santa em contexto de pandemia, à imagem do que aconteceu em 2020, “tendo em conta a proteção da saúde e o que foi estabelecido pelas autoridades responsáveis ​​pelo bem comum”.

Além do adiamento das procissões, os bispos podem ainda decidir que o Tríduo Pascal seja celebrado apenas nas catedrais e nas paróquias, e não em mosteiros, residências ou capelas hospitalares. É aconselhado também que o acompanhamento das cerimónias seja feito através da televisão ou da internet.

Para a Quinta-feira Santa fica ainda estabelecido que seja omitido o ritual do “lava-pés”, de forma a respeitar o distanciamento e as regras sanitárias.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Temos consciência de que as decisões tomadas nem sempre foram facilmente aceitas por parte dos pastores e fiéis leigos. Contudo, sabemos que foram tomadas com o objetivo de garantir que os santos mistérios sejam celebrados da forma mais eficaz possível para as nossas comunidades, no respeito pelo bem comum e pela saúde pública”, conclui a nota.