Mya Khaing, com 20 anos, morreu esta sexta-feira depois de ter sido atingida por uma bala no dia 9 quando protestava nas ruas  de Nay Pyi Taw, a capital do Myanmar, contra o golpe de Estado dos militares. As forças de segurança terão procurado dissipar à força a manifestação e atingiram Mya Khaing.

A morte da jovem que trabalhava numa mercearia foi confirmada às 11h00 e o seu corpo será examinado por se tratar de “um caso de injustiça”, avança o The Guardian. O mesmo jornal cita um funcionário que garantiu que a causa de morte será apurada e comunicada às autoridades para ser feita “justiça”. 

Sinto muita tristeza e não tenho nada a dizer”, disse o irmão de Mya Khaing à Reuters.

O país asiático, que durante décadas teve um regime militar ditatorial, é palco de inúmeros protestos após um golpe de estado militar que depôs a primeira-ministra Aung San Suu Kyi, eleita democraticamente.

Aung San Suu Kyi detida por militares que declaram estado de emergência e assumem o poder durante um ano

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Centenas de pessoas já foram detidas no Myanmar nesta onda de protestos que continua em diversas cidades, incluindo a capital. Os manifestantes exigem a libertação dos presos políticos e a restauração do governo democrático de Aung Suu Kyi.

Protestos contra golpe continuam em Myanmar, apesar de numerosas detenções