Toronto, a maior cidade do Canadá, decidiu prolongar a ordem de confinamento até pelo menos 8 de março, devido à propagação das novas variantes do coronavírus responsável pela pandemia de Covid-19, foi anunciado pelas autoridades locais. A Ministra da Saúde do Ontário, Christine Elliott, afirmou que esta é uma decisão difícil mas necessária.

Eileen de Villa, oficial médica de saúde de Toronto, pediu ao governo provincial esta semana para prolongar a ordem de permanência em casa e encerramento de serviços, afirmando que nunca esteve tão preocupada com o futuro por causa das novas variantes do coronavírus.

Portugal em iniciativa mundial contra detenções arbitrárias lançada pelo Canadá

O Presidente da Câmara de Toronto, John Tory, apoiou o pedido e disse que queria que este fosse o último confinamento. As restrições em Toronto tiveram início a 23 de novembro, após uma segunda vaga de infeções ter atingido a província. Os cientistas dizem que a variante do Reino Unido encontrada em Ontário se espalha mais facilmente e é provavelmente mais mortal, mas até agora as vacinas existentes parecem ser eficazes contra ela.

O Canadá tem tido escassez de vacinas até esta semana. O governo federal espera receber seis milhões de doses antes do final de março e mais de 20 milhões de doses em abril, maio e junho. O Canadá tem uma população de 37 milhões de habitantes e uma grande comunidade portuguesa residente. As escolas acabaram de reabrir em Toronto esta semana e as lojas de venda a retalho tinham sido programadas para reabrir no dia 22.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Eu sei que estamos cansados. Sei que todos nós nos sacrificámos muito. Mas há esperança no horizonte. O governo federal garantiu-nos que as vacinas, de que necessitamos desesperadamente, estão a caminho”, disse o primeiro-ministro de Ontário, Doug Ford.

A ordem de permanência em casa foi levantada para a maioria da província no início desta semana, quando o governo avançou com uma reabertura económica, apesar dos avisos de que a medida poderia desencadear uma terceira vaga de infeções.

Canadá deportou quase meia centena de portugueses em 2020

Toronto, e o Canadá de modo geral, achataram anteriormente a curva epidémica e estão a fazê-lo novamente nesta segunda vaga. Theresa Tam, Chefe da Saúde Pública do Canadá, disse que existem atualmente menos de 33 mil casos ativos no país, uma queda de 60% em comparação com o mês anterior. Contudo, reconheceu que o Canadá pode não ser capaz de evitar uma rápida aceleração dos casos diários, previstos chegar aos 20 mil até meados de março, sem vigilância contínua.

Estamos num ponto crítico da pandemia e os nossos esforços começaram a fazer pender a balança a nosso favor”, disse a responsável, acrescentando: “Proteger o nosso progresso e limitar o impacto de variantes preocupantes exigirá uma ação mais forte“.