Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um circuito com muitas zonas de deserto mas com uma vista idílica da ilha de Al Hudayriat, uma temperatura a rondar os 27º, Filippo Ganna. Qualquer competição que tenha o italiano da Ineos inscreve por defeito o nome do campeão mundial nas etapas de contrarrelógio, ainda para mais aquelas com distâncias mais curtas como era o caso da segunda tirada da Volta aos Emirados Árabes Unidos (EAU) desta segunda-feira. Por isso, e no momento em que o transalpino cortou a linha da meta, estava encontrado o tempo referência. E era aqui que começava o dia de João Almeida, português da Deceunick Quick-Step que surgia como um dos nomes em foco.

João Almeida já se mostra depois do Giro: português começa em quarto na geral e fica com camisola preta na Volta aos EAU

Depois de ter terminado a primeira etapa no nono lugar da etapa, o que valeu uma quarta posição na geral devido às bonificações que lhe valeram a liderança na camisola preta dos sprints intermédios e o segundo posto na camisola verde dos pontos, o corredor português terminou os 13,3km da segunda tirada na sexta posição, subindo assim ao segundo lugar da classificação geral apenas a cinco segundos do novo líder, o esloveno Tadej Pogacar (Team UAE Emirates), vencedor do último Tour e o grande favorito ao triunfo final nesta competição.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Como seria de esperar, Filippo Ganna ganhou o contrarrelógio com o tempo de 13.56, menos 14 segundos do que o suíço Stefan Bissegger (EF Education) e menos 21 segundos do que o dinamarquês Mikkel Bjerg (Team UAE Emirates), que fechou o pódio da etapa. Pogacar acabou em quarto com 14.20, menos seis segundos do que João Almeida e Luis Leon Sánchez (Astana). Rúben Guerreiro, o outro português na competição, fez o 60.º tempo, a 1.17 segundos do transalpino já a olhar também para as duas etapas a subir que se realizam até sábado.

O dia foi positivo para João Almeida num outro sentido: além de manter a camisola preta dos sprints intermédios, que não mexeu nesta segunda etapa, o português saltou para a liderança da camisola verde com 23 pontos, mais três do que Filippo Ganna e mais quatro do que Tadej Pogacar. O corredor da Deceunick Quick-Step ocupa também o segundo posto na camisola branca da juventude, que é liderada pelo esloveno da Team UAE Emirates.

De referir também, e em paralelo, que a Alpecin-Fenix, equipa do líder da Volta aos EAU, Mathieu van de Poel, teve de retirar-se da competição depois de ter sido detetado um caso positivo na equipa nos testes feitos após a primeira etapa, o que fez com que já não estivesse presente no contrarrelógio desta segunda-feira.