O número de beneficiários de prestações de desemprego aumentou 36,9% em janeiro face ao mesmo mês de 2020 e 1,5% comparando com dezembro, para 245.058, revelam as estatísticas mensais da Segurança Social publicadas esta segunda-feira.

Em janeiro de 2021 registaram-se 245.058 prestações de desemprego, revelando um acréscimo de 1,5% face ao mês anterior e de 36,9% tendo em conta janeiro de 2020 (neste total não estão incluídas as prorrogações das prestações de desemprego)”, indica a síntese do Gabinete de Estratégia e Planeamento (GEP) do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

Os beneficiários do subsídio de desemprego aumentaram 38,4% em termos homólogos e 1,7% face ao mês anterior, para 208.719.

Já o subsídio social de desemprego inicial abrangeu em janeiro 10.189 pessoas, uma subida homóloga de 38,4% e uma diminuição em cadeia de 0,9%.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O subsídio social de desemprego subsequente abrangeu 25.462 pessoas, registando um acréscimo face ao período homólogo de 29,6% e um decréscimo mensal de 1,6%.

Por idades e comparando com janeiro de 2020, continuam a registar-se acréscimos das prestações processadas em todos os grupos etários, em particular nos grupos mais jovens: o grupo de 24 ou menos anos (79,7%), entre os 25 e os 34 anos (65,7%), entre os 35 e os 44 anos (41,9%), e entre os 45 e os 54 anos (32,7%)”, segundo o GEP.

Mais de metade dos beneficiários (56,4%) são do sexo feminino e 44,6% do sexo masculino. Segundo os quadros publicados pela Segurança Social, o valor médio do subsídio processado por beneficiário foi em janeiro de 495,95 euros.

Os dados também divulgados esta segunda-feira pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) indicam que em janeiro o número de desempregados inscritos aumentou 32,4% em termos homólogos e 5,5% face a dezembro, totalizando 424.359 desempregados.