Hospitais de Lisboa, Porto, Coimbra e Aveiro rejeitam contratar médicos que tenham tirado o curso no estrangeiro e que ainda não tenham o processo de reconhecimento da formação completo em Portugal, noticiou o Jornal de Notícias.

A possibilidade foi criada pelo Governo, mas os hospitais ouvidos pelo JN não estão a prever contratar nenhum profissional nesta condições neste momento. A Ordem dos Médicos já tinha dito que qualquer médico para exercer em Portugal tem de ter curso reconhecido por uma universidade portuguesa e prova de comunicação médica.

Covid-19. Médicos formados no estrangeiro têm de ter curso reconhecido e fazer prova, diz Ordem dos Médicos

Alexandre Lourenço, presidente da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares, disse ao JN que, apesar da necessidade, os hospitais estão “obrigados, e bem, a contratar profissionais certificados como garantia de qualidade”.

Maioria dos médicos estrangeiros que podem ser contratados pelo SNS estão no Brasil

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A maioria dos médicos que já realizaram a prova necessária para poderem ser contratados pelo Serviço Nacional de Saúde, em regime excecional, têm nacionalidade brasileira e residem no Brasil. Neste momento, alguns estão retidos por falta de voos de ligação, outros não têm interesse num contrato de apenas um ano, como noticiou o Público no final de janeiro.