O secretário-geral da ONU, António Guterres, expressou esta quarta-feira agradecimento e humildade por receber o apoio oficial do Governo de Portugal para um segundo mandato e prometeu fazer de tudo para continuar a ser digno da renomeação.

“O secretário-geral está agradecido e humilde pelo apoio e fará tudo o que puder para ser digno dessa confiança”, disse esta quarta-feira Stéphane Dujarric, porta-voz do secretário-geral da ONU. “O secretário-geral teve várias conversas com líderes portugueses esta manhã e esteve ao telefone para expressar o seu agradecimento”, afirmou ainda, em resposta a uma questão da Agência Lusa.

O Governo português formalizou esta quarta-feira a recandidatura de António Guterres para um segundo mandato de cinco anos como secretário-geral da ONU, com uma breve cerimónia na residência oficial, em Lisboa. O primeiro-ministro, António Costa, assinou a carta a formalizar a proposta do executivo português, documento endereçado ao presidente da Assembleia-Geral da ONU, o diplomata turco Volkan Bozkir, e à presidência do Conselho de Segurança, este mês assegurada pelo Reino Unido.

Costa anuncia apoio formal a recandidatura de Guterres à ONU

Segundo António Costa, o secretário-geral da ONU teve uma atuação “exemplar” e uma “liderança firme”. “Ao longo dos últimos cinco anos, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, serviu de uma forma exemplar as Nações Unidas, a sua Carta, os seus valores. Encheu seguramente Portugal de orgulho, mas, sobretudo, devolveu força a valores fundamentais que o Humanismo que inspirou a Carta das Nações Unidas precisa de ver devidamente promovidos e defendidos”, afirmou António Costa.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O Presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, revelou que falou ao telefone com António Guterres para transmitir “o caloroso apoio”. Segundo o chefe de Estado, a recandidatura de António Guterres “é uma excelente notícia para as Nações Unidas, porque demonstrou ser um brilhante secretário-geral”, e também “é uma excelente notícia para Portugal, porque é um português de enorme valor”.

Marcelo falou com Guterres e transmitiu-lhe “caloroso apoio” a novo mandato na ONU

Marcelo Rebelo de Sousa elogia António Guterres pelo “seu conhecimento dos grandes problemas do mundo, assente numa vasta carreira internacional e numa experiência ímpar ao serviço das Nações Unidas, designadamente no seu atual mandato”. O mandato de António Guterres como secretário-geral da ONU iniciou-se em 1 de janeiro de 2017 e termina em 31 de dezembro.

Em janeiro deste ano, António Guterres anunciou a sua disponibilidade para cumprir um segundo mandato de cinco anos entre 2022 e 2026. As Nações Unidas deram início este mês ao processo formal de seleção do próximo secretário-geral da organização, ao pedirem aos 193 Estados-membros que submetessem os nomes de candidatos ao cargo.