Foram afastadas as suspeitas que recaíam sobre Christian Brueckner no caso do desaparecimento de Inga Gehricke, conhecida como a “Maddie alemã”. Segundo o The Sun, as autoridades alemãs consideraram que não existem evidências de que o homem de 44 anos tenho sido o responsável pelo rapto da criança em 2015, o que poderá por em causa o seu papel no rapto de Madeleine MacCan.

“O gabinete do procurador público examinou cuidadosamente as ligações ao caso de Inga e determinou que não existe nenhuma suspeita inicial contra o meu cliente”, afirmou ao The Sun o advogado de Brueckner, Friedrich Fulscher. “A investigação a Christian B. no caso de Inga está encerrada”, garantiu o porta-voz do gabinete do procurador em Stendal, Thomas Kramer, ao mesmo meio de comunicação.

“Foram conduzidas investigações policiais, mas estas não produziram quaisquer factos que sugerissem que Christian B. pode ter raptado, abusado ou matado Inga. Assim, apesar desta investigação adicional, não existem suspeitas contra Christian B. Os procedimentos preliminares foram, por isso, descontinuados”, explicou.

Violação, abuso de menores, droga. Os outros crimes de Christian Brueckner, o novo suspeito do caso Maddie

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em julho do ano passado, Brueckner foi apontado como o principal suspeito do desaparecimento de Maddie da Praia da Luz, no Algarve, em 2007. O homem, a cumprir pena por tráfico de droga e violação de uma idosa em Portugal, residiu no Algarve entre 1995 e 2007. Pela mesma altura ficou-se também a saber que o alemão era o principal suspeito num caso semelhante.

Inga Gehricke, de cinco anos, desapareceu em maio de 2015 enquanto fazia um piquenique com a família numa floresta na região de Saxony-Anhal. Apesar da recompensa de 25 mil euros por informações que levassem ao seu paradeiro, a criança nunca foi encontrada.