Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Cerca de 35% dos portugueses acreditam que o processo de vacinação da população está a correr mal. O número é avançado por uma sondagem da Aximage para o DN, JN e TSF, que adianta que a maioria dos inquiridos é contra a prioridade que foi dada a políticos, principalmente aos presidentes de câmara e deputados.

O DN lembra que, em dezembro, 38% dos inquiridos de um inquérito semelhante afirmavam ter confiança no executivo socialista de António Costa quanto ao plano de vacinação. Porém, agora, 43% tem “pouca confiança” e apenas 28% crê que o plano para vacinar os portugueses vai ter os objetivos cumpridos.

De acordo com os dados da sondagem divulgados agora, 45% dos inquiridos que manifesta confiança no plano são idosos, sendo que os mais descrentes se encontram nas faixas etárias entre os 18 e 49 anos. A maioria da população que acredita que o executivo vai conseguir executar o plano a que se propôs encontra-se na Grande Lisboa, sendo que, nessa zona, entre os eleitores do PS e da CDU a confiança do Governo é de 60% e 55%, respetivamente.

Quanto à prioridade dada na vacinação de titulares de cargos políticos, 54% rejeitam a opção e 46% apoiam. A maioria, 91% e 78% concorda, respetivamente, se essa prioridade for dada ao Presidente da República e ao primeiro-ministro. Relativamente aos inquiridos que querem também receber as duas doses da vacina contra a Covid-19, 78% disse que sim. A faixa etária mais jovem deste grupo, dos 18 aos 34 anos, mesmo sendo a que tem menor percentagem, teve apenas 30% dos inquiridos a pronunciar-se negativamente.

Por fim, a sondagem revela que 39% aceitam a vacina Sputnik V, da Rússia. Contudo, 43% disseram que a União Europeia não deve aceitar a vacina produzida pela China. Esta sondagem teve por base 822 entrevistas feitas a maiores de 18 anos em Portugal entre 17 e 20 de fevereiro. De acordo com os responsáveis os dados têm uma margem de erro de 3,4%.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR