Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

João Almeida manteve o terceiro lugar da classificação geral na Volta aos Emirados Árabes Unidos (EAU) na sexta e penúltima etapa, que teve ligou Deira Islands a Palm Jumeirah ao longo de 168 quilómetros e que terminou com uma chegada ao sprint, com mais uma vitória para Sam Bennett, que depois da 50.ª vitória na quarta tirada voltou a ser o mais forte. No entanto, a notícia do dia foi outra, também envolvendo uma Deceuninck Quick-Step em bom plano neste arranque de temporada. E relacionada com o português, cada vez mais protagonista na equipa.

João Almeida mantém terceiro lugar e está mais próximo de conseguir primeiro pódio numa Volta do World Tour

“O foco agora é a Vuelta. O que fiz no Giro do ano passado foi muito bom mas já ficou para trás. Correu muito bem, sim, mas agora ainda há mais pressão e exigência e eu sou o primeiro a exigir mais de mim próprio”, tinha referido João Almeida antes deste arranque de temporada na Volta aos EAU. No entanto, as contas da Deceuninck Quick-Step e Patrick Lefevere, líder da equipa, admitiu em entrevista à RTBF que os planos inicias acabaram por sofrer uma alteração. “Revimos a nossa tática em relação ao Giro, o [Remco] Evenepoel não vai alinhar como favorito e penso que vamos designar Almeida como líder”, assumiu o responsável do conjunto.

“Na teoria é uma boa corrida para o Remco [Evenepoel] mas com tudo o que aconteceu desde 15 de agosto e a queda no Tour da Lombardia estamos sendo muito cuidadosos. Já tivemos que pará-lo uma vez em dezembro por causa da dor. Por enquanto estamos bem, mantenho os meus dedos cruzados. Para ele é especial porque o Giro vai ser a primeira competição dele. Mas quando digo que o percurso lhe convém é porque tem contrarrelógio, muitas montanhas. O Giro é sempre uma mistura de sal e pimenta…”, referiu. “Não nos podemos esquecer que o João Almeida, quando fazia a estreia como profissional, vestiu a camisola rosa durante duas semanas no ano passado antes de terminar em quarto na classificação geral final. Vamos apostar nele e tudo o que a Remco arrecadar será positivo para o futuro, não excluindo uma boa surpresa na classificação”, acrescentou Lefevere.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Essa acabou por ser a notícia do dia, com a Deceuninck Quick-Step a conseguir a segunda vitória na Volta aos EAU por Sam Bennett, já depois de Davide Ballerini ter ganho também duas etapas no Tour de la Provence. Desta vez, o irlandês conseguiu superar a concorrência de Elia Viviani e Pascal Ackermann, ficando David Dekker, que desde o primeiro dia procura o triunfo, na quarta posição, à frente de Fernando Gaviria. Na classificação geral, Tadej Pogacar mantém a camisola vermelha da liderança com 45 segundos de vantagem sobre Adam Yates e 1.12 minutos em relação a João Almeida, que continua com 42 segundos de avanço sobre Chris Harper. A Deceuninck Quick-Step tem ainda Mattia Cattaneo (oitavo) e Fausto Masnada (décimo) no top 10 da classificação.

Este sábado, a Volta aos Emirados tem a sua sétima e última etapa que liga Yas Mall e Abu Dhabi, numa distância de 146km, que deverá voltar a ser decidida ao sprint e confirmar o terceiro lugar de João Almeida na classificação geral, naquele que irá corresponder ao primeiro pódio do português numa corrida do World Tour.