António Félix da Costa conseguiu este sábado os primeiros pontos no Mundial de Fórmula E de 2021, ao acabar o Diriyah ePrix 2, na Arábia Saudita, na quarta posição, sendo prejudicado pelo fim prematuro da corrida mas beneficiado pela penalização ao companheiro na DS Techeetah, Jean-Éric Vergne (e a mais quatro pilotos), pela não ativação dos dois attack modes, para subir ao último lugar do pódio.

Félix da Costa em 11.º na estreia do Mundial de Fórmula E

Sam Bird, da Jaguar, que não tinha concluído a corrida da véspera, venceu a segunda prova do ano, à frente de Robin Frijns, da Envision Virgin Racing, e de Jean-Éric Vergne, companheiro de Félix da Costa na DS Techeetah que teve um despique aceso com o português com um encosto à mistura pouco antes da bandeira vermelha levantada pelos comissários por existirem pedaços de carro no asfalto após um choque.

De referir que Félix da Costa tinha partido da nona posição, aproveitando uma penalização de três lugares ao britânico Alex Lynn por ter sido considerado culpado no incidente da véspera com Sam Bird, que viria a ganhar a corrida 2. O holandês Robin Frijns tinha partido da pole position, descendo depois para o segundo lugar.

Com este resultado, o português subiu ao quinto lugar da classificação geral com 15 pontos, a 17 do líder Nyck de Vries (Mercedes) que não pontuou na segunda corrida. Sam Bird (25) e Robin Frijns (22) fecham o pódio.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

De recordar que, esta sexta-feira, o piloto da DS Techeetah tinha acabado na 11.ª posição, primeiro lugar sem pontos, após sair do 18.º posto. Nyck de Vries, que conseguira a pole position, liderou todas as 32 voltas.