240kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Poupe na sua eletricidade com o MEO Energia. Simule aqui.

Menos de 500 doentes com Covid-19 em cuidados intensivos em Portugal

Caiu para 492 o número de doentes Covid-19 em cuidados intensivos, segundo a DGS. Últimas 24h trouxeram mais 1.071 novos casos e registaram-se 33 mortes, o número mais baixo desde outubro.

i

AFP via Getty Images

AFP via Getty Images

Baixou para menos de 500 o número de doentes Covid-19 em cuidados intensivos em Portugal, segundo o boletim diário divulgado este sábado pela DGS – os 492 doentes em estado mais crítico formam a contagem mais reduzida desde 2 de janeiro. Também segundo a DGS, as últimas 24h trouxeram mais 1.071 novos casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus e registaram-se 33 mortes, o número mais baixo desde outubro.

Estes são alguns dos principais destaques do boletim diário divulgado pela Direção-Geral de Saúde (DGS) este sábado, 27 de fevereiro, um relatório de situação divulgado no dia em que a Organização Mundial de Saúde contabilizou em mais de 2,5 milhões o número de mortes com Covid-19 em todo o mundo. Em Portugal, o total de óbitos atribuídos à doença ascendeu, assim, a 16.276 pessoas, com o número diário de mortes (de 33), a cair em relação aos 58 da véspera.

Entre as 33 mortes com Covid-19 registadas nas últimas 24h, estavam duas pessoas na faixa etária dos 50 anos, um homem e uma mulher. Os restantes óbitos dividem-se entre três pessoas na casa dos 60 anos, 13 com entre 70 e 79 anos, e as restantes tinham mais de 80 anos.

Número de doentes em UCI é o mais baixo desde 2 de janeiro

O boletim da DGS aponta para uma descida de 30 no número de doentes em cuidados intensivos, para um total de 492 doentes que inspiram maiores cuidados, à meia-noite deste sábado. É o número mais baixo desde 2 de janeiro.

Quanto ao número geral de doentes internados, que inclui enfermaria e cuidados intensivos, esse número baixou em 224 pessoas, para uma contagem global de 2.180. Aqui regista-se o número mais reduzido desde 2 de novembro e desde a última terça-feira que Portugal tem tido reduções consecutivas de três dígitos na contagem do número de internados.

Foram, também, considerados recuperados 2.820 doentes, o que contribuiu para baixar o número de casos ativos para 70.255 – o número mais baixo do ano.

Recorde-se que que Portugal oscilava perto desta fasquia dos 70 mil casos ativos nos últimos dias de 2020 mas esse número disparou subitamente a partir do início de janeiro até superar os 181 mil no último dia desse que foi o pior mês da pandemia em Portugal.

Desde o início da pandemia, foram confirmados 803.744 casos de infeção, com 717.313 já considerados recuperados.

Quanto aos novos casos, a contagem subiu ligeiramente (+4,3%) para os 1.071 novos casos, mantendo-se na fasquia entre 1.000 e 2.000 casos diários desde 18 de fevereiro, com exceção para a última segunda-feira (em que foram confirmados apenas 549 novos casos nas 24 horas que dizem respeito, em rigor, ao dia de domingo).

Maioria dos casos e mortes (novamente) em Lisboa e Vale do Tejo

A maior fatia nos novos casos e, também, dos óbitos, volta a estar localizada na região de Lisboa e Vale do Tejo. Foi nesta região que se verificaram 19 das 33 mortes, além de ter sido também aí que surgiram 536 novos casos, mais de metade do total nacional.

No centro do país morreram cinco pessoas, no norte quatro, no Alentejo três e no Algarve duas, nestas 24h, ao passo que nos Açores e na Madeira não se registaram quaisquer óbitos com Covid-19 neste dia.

Quanto ao número de novos casos, além dos 536 de Lisboa e Vale do Tejo há 267 no norte, 140 no centro, 28 no Alentejo e 23 no Algarve. Na Madeira houve 73 novos casos e os Açores voltaram a ter pessoas diagnosticadas com Covid-19 – mais quatro.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.