Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O vinho é uma oportunidade para provar o mundo. Na falta de viagens, imposição da pandemia que encerrou fronteiras e inibiu deslocações, pode funcionar como postal de locais ainda desconhecidos que, uma vez aberta a garrafa, se tornam mais íntimos. Foi esse o pensamento de Eric Asimov, crítico de vinhos no The New York Times, que dedicou um artigo naquele jornal, no final de janeiro, a 20 vinhos a menos de 20 dólares, provenientes de 11 países diferentes e capazes de ilustrar regiões produtoras que, por agora, estão fora do nosso alcance: como Calábria ou Sicília, em Itália, Kamptal, na Áustria, ou a muito portuguesa Bairrada.

Bairrada. Pode uma casta dar boleia a toda uma região?

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.