455kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

"Por Trás dos Seus Olhos". É um thriller memorável? Longe disso. Mas aquele final...

Este artigo tem mais de 1 ano

Está disponível na Netflix "Por Trás dos Seus Olhos", mais uma adaptação de um romance a três com requintes de suspense. Susana Romana viu os seis episódios, mas não lhe revela nenhum spoiler.

A atriz Eve Hewson navega com mestria entre ser a vítima ou a vilã desta série, dando azo à teoria de que, um dia, Bono é que vai ser conhecido como “o pai da Eve Hewson”
i

A atriz Eve Hewson navega com mestria entre ser a vítima ou a vilã desta série, dando azo à teoria de que, um dia, Bono é que vai ser conhecido como “o pai da Eve Hewson”

A atriz Eve Hewson navega com mestria entre ser a vítima ou a vilã desta série, dando azo à teoria de que, um dia, Bono é que vai ser conhecido como “o pai da Eve Hewson”

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

No que diz respeito a produtos culturais, sou uma pessoa que às vezes se deixa convencer pelos rótulos garridos das embalagens. Por exemplo: tudo o que é britânico, eu meto na cabeça que tem mais qualidade. Muitos anos a crescer com aquela mítica intro da produtora Thames, que assegurava que vinha de lá uma pérola polida com cuidado e mestria. Talvez tenha sido, então, o sotaque a saber a Earl Grey que me fez entrar nos seis episódios de “Behind Her Eyes” (disponível da Netflix, com o nome “Por Trás dos Seus Olhos”, baseada no livro homónimo de Sarah Pinborough) com a certeza de que ia ver boa televisão. OK, o primeiro episódio é um bocado aborrecido, mas isto depois melhora, certo?

Este foi o primeiro sinal de alerta de que este thriller não iria, muito provavelmente, sobreviver ao hype: para produção britânica — e para aposta da Netflix com base num romance de grande sucesso – “Behind Her Eyes” tem as costuras dos baixos valores de produção demasiado à vista. A história segue o rasto de Louise, uma mulher divorciada com um filho pequeno, que não só se amantiza com o patrão, como desenvolve uma estranha amizade com a mulher deste. As várias cenas de sonhos que o plot exige (Louise sofre de terrores noturnos) parecem screensavers de Windows feitos por um caloiro da ETIC. O suspense, pontuado por vários momentos de sexo, lembra o “Instinto Fatal” – não no sentido de ir ser determinante para todo um género, mas porque parece que foi feito em 1993.

[o trailer de Por Trás dos Seus Olhos”:]

A desinspirada realização não ajuda naquela que é uma adaptação muito antecipada pelos fãs do género. “Behind Her Eyes” é fielmente baseado no sucesso literário de Sarah Pinborough, descrito pelo mestre do suspense Stephen King como “brilhante”, e foi entregue ao guionista Steve Lightfoot (com experiência no êxito da NBC “Hannibal” e na adaptação do universo Marvel, também para a Netflix, “Punisher”). Só que é muita parra e pouca uva, muita antecipação e fraca qualidade. “Behind Her Eyes” ganha borbotos muito depressa, é poliéster.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Alvíssaras, porém, para os atores. O cast, não sendo inexperiente, também não tem nenhum nome muito reconhecido. Porém, é competente e promissor. Simona Brown é a protagonista Louise; Tom Bateman é o seu patrão David; Eve Hewson (filha de Bono, vocalista dos U2) é a mulher de David, Adele; e Robert Aramayo é o amigo de Adele, Rob, que é visto em flashbacks do seu passado misterioso. Hewson, particularmente, navega com mestria entre ser a vítima ou a vilã, dando azo à teoria de que, um dia, Bono é que vai ser conhecido como “o pai da Eve Hewson”.

Apesar deste texto se pautar pela deontologia de não estragar séries a ninguém, é impossível escrever sobre “Behind Her Eyes” sem mencionar o grande twist final (ou duplo twist), que divide opiniões. Se é surpreendente? Muito. Mas é surpreendente porque corrompe totalmente a lógica interna até então. Ter uma série de seis episódios que a meio do quarto capítulo muda de género é quase desleal para com o espectador. A sensação é de que alguém nos quis levar a sair num date romântico, nos disse para nos vestirmos com roupa de gala e depois nos levou para um ringue pavimentado a gelatina de pêssego para um combate de wrestling. Claro que surpreende, mas à custa de um jogo de expectativas brusco e simplesmente bizarro.

"Por Trás dos Seus Olhos" é mais insossa do que terrível. Mas se já começou a ver, ao menos que chegue à gelatina de pêssego do final

Esta bizarria permite, preguiçosamente, que a série não se dê ao trabalho de resolver várias incongruências das personagens, das narrativas e até os detalhes da investigação de um crime (há uma cena com uma carta para a polícia escocesa, perto do fim, que é no mínimo absurda), já que as fundações nas quais estavam alicerçados os primeiros dois terços da história são arrancadas e substituídas por outras. Claro que há pequenas pistas deixadas aqui e ali que formam todo um novo puzzle, mas não era o que dizia na caixa.

Depois da desilusão generalizada com o final previsível do até então envolvente thriller “The Undoing” (série da HBO com Nicole Kidman e Hugh Grant), “Behind Her Eyes” tenta fazer diferente ao querer apenas dar-nos um pontapé na nuca com um final que não adivinharíamos. Se resulta numa mini-série melhor? Nem por isso, apesar de ser mais insossa do que terrível. Mas se já começou a ver, ao menos que chegue à gelatina de pêssego do final. Logo descobre se lhe caiu bem.

Susana Romana é guionista e professora de escrita criativa

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.