Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O rapper Pablo Hasél está a ser acusado num novo processo. Em causa estão os acontecimentos que ocorreram em Lérida, a 25 de março de 2018, durante os quais quatro polícias ficaram feridos depois de um ataque à subdelegação do Governo central. O ataque foi um protesto contra a detenção, na Alemanha, de Carles Puigdemont, o ex-presidente do governo autónomo. Hasél é acusado de incitar e participar no ataque — e o Ministério Público pede uma pena de cinco anos e três meses de cadeia para o músico.

Carga policial em Pamplona durante manifestação de apoio ao rapper Pablo Hasél

Hasél e outras dez pessoas são acusados de terem incitado uma multidão de 3000 pessoas a tentarem forçar a entrada no edifício e “perturbarem a paz pública”. Os manifestantes tentaram encurralar os agentes da polícia, de acordo com o El Mundo.

O músico está já a cumprir uma pena de prisão pelo crime de glorificação do terrorismo. Foi ainda condenado a pagar multas por injúrias à monarquia e a instituições do Estado. Depois da sua detenção, houve várias manifestações, algumas violentas, em várias cidades de Espanha e em outros países, como Portugal.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR