O Governo da Venezuela condecorou o antigo Presidente moçambicano Joaquim Chissano com o galardão “Ordem Francisco de Miranda” em reconhecimento pela “contribuição para todas as formas de luta, independência e desenvolvimento” empreendidas pelo ex-chefe de Estado.

O embaixador da Venezuela em Maputo, Carlos Juarez, citado esta quarta-feira pelo diário moçambicano Notícias, avançou que o Presidente venezuelano, Nicolas Maduro, decidiu distinguir Joaquim Chissano pelo seu papel na “luta pela liberdade, independência e soberania” de Moçambique e de outras nações.

A condecoração realizou-se na terça-feira na embaixada da Venezuela em Maputo, em cerimónia restrita, devido às limitações impostas a eventos públicos no contexto de prevenção da Covid-19.

Falando na ocasião, o antigo Presidente moçambicano considerou o reconhecimento prova da “forte relação de amizade, irmandade e solidariedade existente entre os povos venezuelano e moçambicano”. Joaquim Chissano assinalou que os laços entre os dois povos foram “construídos desde os tempos da luta das duas nações contra a escravatura, opressão e exploração colonial”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Além de Joaquim Chissano, Caracas condecorou cinco outras personalidades africanas com o galardão da “Ordem Francisco Miranda”.

Joaquim Chissano foi Presidente da República de Moçambique entre 1986 e 2005.