O antigo primeiro-ministro cabo-verdiano Carlos Veiga, o primeiro chefe de Governo escolhido nas eleições livres e multipartidárias de 1991, apresenta esta quinta-feira, na Praia, a sua candidatura ao cargo de Presidente da República nas eleições de 17 de outubro.

Carlos Veiga, 71 anos, advogado e embaixador de Cabo Verde em Washington durante três anos, até 31 de janeiro de 2020, apresenta-se como candidato às presidenciais pela terceira vez, depois de ter tentado a eleição em 2001 e 2006.

O anúncio da candidatura foi feito em janeiro pelo próprio Carlos Veiga, antigo presidente do Movimento para a Democracia (MpD, atualmente no poder), mas até agora o partido liderado por Ulisses Correia e Silva, também primeiro-ministro, ainda não se pronunciou formalmente sobre o apoio a Veiga.

Ex-primeiro-ministro Carlos Veiga candidato às eleições presidenciais em Cabo Verde

Carlos Veiga sublinhou, contudo, que é candidato “independente” às eleições presidenciais, apoiado “provavelmente pelo MpD”, mas que também espera o “apoio de outros partidos”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Dificilmente vejo outra opção. Qualquer outra opção seria uma opção que criaria problemas internos reais, efetivos e significativos, com impactos designadamente nas eleições legislativas que se aproximam”, afirmou o antigo primeiro-ministro e presidente do MpD, António Gualberto do Rosário, em entrevista à Lusa em janeiro, aludindo ao ciclo eleitoral de 2021 em Cabo Verde, que prevê também eleições legislativas em 18 de abril.

“Os órgãos diretivos [do MpD] tomarão a decisão no momento que acharem conveniente, isto envolve questões de ordem estratégica, naturalmente, que eu não estou por dentro. Mas eu penso que em termos de opção não há outra. Há de ser seguramente o apoio à candidatura de Carlos Veiga e seria absolutamente incompreensível que fosse diferente”, reforçou o antigo primeiro-ministro de Cabo Verde, cargo que ocupou de 2000 a 2001, tal como o de presidente do MpD.

Carlos Veiga, que foi o primeiro chefe de Governo escolhido em eleições livres e multipartidárias em Cabo Verde, realizadas em 13 de janeiro de 1991, concorreu pela primeira vez ao cargo de Presidente da República cabo-verdiano em 2001 – que Pedro Pires, apoiado pelo PAICV, venceu -, tendo deixado as funções de primeiro-ministro com Gualberto do Rosário.

A apresentação da candidatura presidencial de Carlos Veiga está agendada para as 16h00 (17h00 em Lisboa), no Farol D. Maria Pina, cidade da Praia, durante a qual irá apresentar “as principais linhas de atuação com que se apresentará ao eleitorado”, segundo a sua assessoria.

O principal opositor de Carlos Veiga deverá ser o antigo primeiro-ministro e presidente do PAICV, José Maria Neves, que tem vindo a admitir a possibilidade de concorrer ao cargo de Presidente da República, depois de ter liderado o Governo cabo-verdiano de 2001 a 2016.

Às eleições presidenciais de 17 de outubro já não concorre Jorge Carlos Fonseca, atual Presidente da República e que cumpre o segundo e último mandato.