501kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Boletim DGS. Desde 6 de novembro que não havia tão poucos internados em UCI

Este artigo tem mais de 1 ano

Desde 6 de novembro que o número de internados em UCI não era tão baixo: 342, menos 12 do que este domingo. Nas últimas 24 horas registaram-se mais 365 casos de infeção. Houve mais 25 mortes.

Coronavirus Emergency In Lisbon
i

NurPhoto via Getty Images

NurPhoto via Getty Images

240 internados com Covid-19 em unidades de cuidados intensivos a 15 de março e 120 no final do mês. As projeções apresentadas esta segunda-feira na reunião do Infarmed por Baltazar Nunes, epidemiologista do Instituto Ricardo Jorge, ainda parecem distantes mas esta segunda-feira o boletim da Direção-Geral de Saúde confirmou que o plano está em marcha e que a tendência é mesmo essa.

Há 24 dias, desde 13 de fevereiro, que o número de internados em UCI não para de diminuir. Nas últimas 24 horas, foram 12 as pessoas que, em hospitais de todo o país, saíram destas unidades. Ao todo, são agora 342 os internados em UCI — desde dia 6 de novembro de 2020, há quatro meses e dois dias, que não eram tão poucos. No total, são 1.403 as pessoas hospitalizadas com Covid-19 (menos 11 do que há 24 horas).

Também a descer, como é habitual às segundas-feiras, dia em que são comunicados os resultados dos testes feitos no fim de semana, estão os casos de novas infeções — 365 nas últimas 24 horas; tinham sido 682 este domingo, e 394 na segunda-feira anterior.

No que diz respeito aos óbitos, foram esta segunda-feira registados mais 25 — o que eleva para 16.565 o número de vítimas da pandemia de Covid-19 em Portugal. Há já cinco dias que o número de mortes — que a 28 de janeiro chegou ao máximo de 303 — se mantém na casa das duas dezenas.

Esta segunda-feira há ainda mais 779 pessoas recuperadas da Covid-19, sendo que o número de casos ativos voltou a descer — são menos 439, para um total de 61.548. Desde o início da pandemia, Portugal já confirmou 810.459 casos de infeção e 732.346 pessoas já recuperaram da Covid-19 — 90,4% do total.

18 das 25 pessoas que perderam a vida tinham mais de 80 anos

Quinze das 25 mortes registadas nas contas da pandemia nas últimas 24 horas aconteceram na região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT). No Norte morreram outras seis pessoas, com complicações associadas à Covid-19, e no Centro quatro, mas no resto do país, não houve qualquer morte ao longo do dia que passou.

Desde o início da pandemia, 6.961 pessoas perderam a vida na região de LVT; 5.260 na região Norte; e 2.951 no Centro. No Alentejo há 958 óbitos registados; no Algarve 344; na Madeira 63; nos Açores 28.

De entre as 25 pessoas cujas mortes foram registadas nas últimas 24 horas, 18 (9 homens e 9 mulheres) tinham acima dos 80 anos. Morreram ainda quatro septuagenários, um homem e uma mulher entre os 60 e os 69 anos, e uma mulher entre os 50 e os 59.

44,4% dos novos casos registados na região de Lisboa e Vale do Tejo

44,4% dos casos de infeção confirmados nas últimas 24 horas foram registados na região de Lisboa e Vale do Tejo; e 21,4% no arquipélago da Madeira — sendo que do boletim epidemiológico da DGS consta uma nota a explicar que mais de metade destes casos (60%) só foram confirmados mais de 48 horas depois de diagnosticados, na sequência de problemas informáticos num laboratório da região.

Na região Norte registaram-se 15,6% do total de casos confirmados esta segunda-feira; e no Alentejo 8,5%. A região Centro, mais populosa e geralmente com mais casos (são 115.648 desde o início da pandemia, o Alentejo registou 28.659 no mesmo período de tempo), teve 5,2% dos casos nas últimas 24 horas. No Algarve registaram-se 3% dos novos casos e nos Açores 1,9%.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.